segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

Supergrass

O Supergrass se originou na banda The Jennifers, que tinha Gaz Coombes (guitarras e vocais) e Danny Goffey (bateria) em sua formação, ainda muito jovens, 16 e 18 anos respectivamente. Após lançar seu primeiro EP, em 1992, a banda se desintegrou e os dois resolveram continuar trabalhando juntos. Logo se juntou a eles o baixista Mick Quinn, mais velho que os outros dois e já com uma certa bagagem de shows e gravações. Em 1993 estrearam sob o nome Theodore Supergrass; depois resolveram simplificar o nome, e estão aí até hoje. Rob Coombes, irmão mais velho de Gaz, tecladista, foi convidado para dar uma força nas gravações e nos shows e não era membro efetivo da banda até o disco ‘Life On Other Panets’, lançado em 2002.
Logo com seu primeiro single, ‘Caught By The Fuzz’, a banda conseguiu um enorme sucesso, quase nada se o compararmos ao misto de mega hit e maldição ‘Alright’, que graças ao seu vídeo clip ‘engraçadinho’ e o clima ‘pra cima’ da música, os fez ser conhecidos pelo mundo todo.
Quando eu disse ‘maldição’ foi no sentido de que a banda acabou ficando conhecida como ‘aquela banda do clipe engraçadinho e pra cima’, quando, na verdade, eles são muito, muito mais do que somente ‘Alright’.
Entre suas principais influências podemos destacar bandas de altíssimo calibre como The Kinks, The Who, The Jam, Buzzcocks, T. Rex e The Smiths. Se o seu disco de estréia vendeu muito, alavancado pelos hits já citados, em seguida eles lançaram um dos melhores discos dos anos 90, ‘In It For The Money’, sucesso de público e crítica, sepultando de vez essa idéia absurda de que se uma banda fez muito sucesso com seu disco de estréia, então terá problemas com disco seguinte.
A banda sempre manteve o alto nível em todos os discos, tanto em composição quanto em execução e arranjos de suas músicas, sabendo sempre ‘montar’ um álbum coerente com seu momento e com a sua história, e poucas bandas conseguiram manter esse nível com tamanha constância, inclusive evoluindo sempre, principalmente em se tratando das letras, que ficaram mais sofisticadas, maduras e, ao mesmo tempo, mais cínicas, algo típico do humor inglês.
Está marcado para março o lançamento do próximo disco ‘Diamond Hoo Ha Man’, o sexto de sua carreira (se não contarmos a coletânea oficial ‘Supergrass Is 10’), e estou disponibilizando aqui, além da discografia oficial, seus dois primeiros singles, e também o EP do The Jennifers. Aproveitem!

Link (3,42kb) – Sharebee

8 comentários:

Noslen ed azuos disse...

Opa vou conferir...valeu.

panta.mystique disse...

Valeu amigo!!

Sergio disse...

Simplesmente, amo essa banda! Lembra-me só momentos bons! Viajens a lugares ducarái, excelente companhia, curtição e aquela véia vinheta de quem está largado no melhor lugar do mundo e feliz da vida: "Ê, VIDINHA MAIS OU MENOS!" 'We Still Need More' é hino desses tempos. E quantas vzs pensei postar Supergrass... Esqueci. Felizmente, para alguém que conheço fazer justiça. Só espero que esta postagem bata recordes de downloads. No fundo, invejo quem não conhece e vai se iniciar agora...

Marcello L. a.k.a. Maddy Lee disse...

Faaaaala, Serjão!
Você tem razão, meu camarada, melhor do que já gostar do Supergrass é a iniciação, são tantas músicas boas pra gente chapar... Ainda me lembro das primeiras vezes que ouvi esses discos, acabava logo me viciando e tinha que ouvir sempre. Ficou um monte de lembranças boas no meio do caminho, é só botar pra rolar o som que elas vêm, fluindo na boa. Maravilha!
Valeu!
Grande abraço.
ML

Roderick Verden disse...

Conheci o Supergrass há uns quatro anos atrás, ao ver uma homenagem ao grupo, na TV Minas. No dia seguinte, comprei um cd nacional do grupo . Sua música é simples, alegre e vibrante. O que pode sofisticar o som do grupo é o uso de teclados(há até a presença de Theramin). O vocal é meio sem-vergonha(me lembra Smashing Pumpkins). Supergrass é uma boa pedida.
Abraço

woody disse...

E aê!
Supergrass e Jane's Addiction dispensam comentários. Estou aqui para dizer, meio atrasadão, que adorei o disco do Renato Vasconcellos, Suíte Brasília. Muito bom mesmo.

Abraço,
WOODY

GRAVETOS & BERLOTAS disse...

Digaíííí, Maddy!!!
Excelente e, como deixou bem claro em seu belíssimo texto, extremamente subestimada. E tudo por conta de um verdadeira homenagem ao bubblegum (um gênero subestimado e que tem diversas pérolas) com pitadas de Kinks. Vou baixar esses extras aí, meu irmãosinho.
[]ões

Marcello L. a.k.a. Maddy Lee disse...

Roderick,
aproveite pra baixar os que você ainda não tem, todos são muito bons. O show deles em um desses Hollywood Rocks da vida foi excelente, apesar de pouco comentado na época. Já fui a alguns shows deles e os caras sempre se empenham ao máximo. Diversão
garantida.
Véi Woody,
você gostou do Renato Vasconcellos e eu me amarrei no Scrapomatic, até vou deixar um comentário por lá depois. Valeu!
Faaaala, irmão Edsão!
Nos extras tem o EP do The Jennifers, o som lembra um bocado aquilo que se estava fazendo meio que 'genericamente' na época, britpop com pitadas de Stone Roses e Happy Mondays, meio shoegazer, meio dançante, mas de muito boa qualidade.
Grande abraço pra todos.
ML