segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

Matadores




Queen - Live Killers (1979)





Não há muito o que falar do Queen que já não tenha sido dito. Eu tinha upado esse disco há já algum tempo e quando resolvi postar o Fireball tinha acabado de colocá-lo no blog dele, então desisti. Até hoje... Porque ontem li no jornal que é provável que eles venham tocar aqui no Brasil, logicamente que com o Paul Rodgers nos vocais, e possivelmente em um daqueles shows ‘digrátis’ na praia de Copacabana.
Enquanto isso, deixo esse que é um dos poucos discos ao vivo que eu realmente gosto muito, com o Queen no auge de sua carreira (só a versão de ‘We Will Rock You’ que abre o disco já valeria, se todo o disco não fosse excelente).

Disco 1: 13 faixas, VBR 256, 76,52mb
Sharebee

Disco 2: 9 faixas, VBR 256, 80,33mb
Sharebee

7 comentários:

GRAVETOS & BERLOTAS disse...

Diiiiiiga, Monstro do Pântano!!!!
Disse tudo sobre esse 'Live Killers' pois não só é o melhor alive do Queen (além conter uma versão inédita e matadora pra 'We Will Rock You') como um dos melhores que conheço.
Grande pedida mas esse tenho original, hehehe. Como todos do Queen, aliás.
Quanto ao Queen com Paul Rodgers e sem John Deacon nem me dei ao trabalho de conferir mas se for televisionado até paro pra assistir. Apesar de Paul Rodgers ser o (pra mim) melhor vocal do rock, esse oportunismo não me cheirou bem. Porque não dar um novo nome e lançar um trabalho inédito? Podia ser Bad Queen, Queen Free, qq porra mas...Queeeennn?! Assim não pode, assim não dá!
[]ões

Noslen ed azuos disse...

É, estou ficando velho mesmo, assisti parte desse show em meados de 1982 no murunbi, foi meu primeiro show e o legal q eles vieram pra cá no auge do sucesso; boa lenbrança...valeu.

Marcello L. a.k.a. Maddy Lee disse...

Edson,
Bad Queen, Queen Company, Qualquerporradessas... Juro que não entendo, será que esses caras já não se entupiram de grana? Pra que fazer esse tipo de coisa? Se for exibido na TV vou conferir, com certeza, só pra ver o Brian May, mas como show deve ser realmente uma roubada, ainda mais se for nesse esquema de Copa... Mas acredito que se eles se juntassem pra gravar matreial inédito, sob qualquer nome, sairia coisa boa.
Noslen,
você é um cara de sorte, esse show foi histórico, o primeiro show de grandes dimensões de uma banda gringa, no auge da carreira, aqui no BR. Depois deles veio o Kiss. Essas foram as principais sementes para o Rock In Rio. Lá eu vi os dois shows do Queen, um dos pontos altos do festival e da vida de muita gente.
Valeu!
Grande abraço.
ML

GRAVETOS & BERLOTAS disse...

Acho que a turnê de 82 é diferente da de 79, Noslen. Já a do RIR I é a mesma do Live At Wembley. Essa banda, mesmo já com algumas farofadas, conseguia estremecer um estádio. Cantei até 'Radio Ga-Ga'!!! Odeio essa música. Pior só 'I Want To Break Free', hehehe. Ah, e 90% do 'Hot Space'.
Pelo menos se despediram com um disco excelente, 'Innuendo', e ainda lançaram umas boas sobras no 'Made In Heaven'.
[]ões

Marcello L. a.k.a. Maddy Lee disse...

Pois é, o Live Killers, apesar de não parecer, é meio Frankenstein, porque foi gravada durante a turnê européia entre janeiro e março de 79, depois de lançarem o disco Jazz. A de 82 foi após o (arghhhhh!) Hot Space. Já a do Rock In Rio era a turnê do The Works. Uma curiosidade sobre o Rock In Rio e Queen: como no Brasil não existia nenhuma firma de iluminação de shows que fosse profissional, a iluminação de todo o festival foi feita com o equipamento do Queen; algumas bandas como o Yes trouxeram algum equipamento adicional.
Valeu!
ML

ProgShine disse...

Sou fã de Queen, fã mesmo, e é certo que não acompanhei a nova jornada, mas uma coisa posso dizer, o nome do projeto é 'Queen + Paul Rodgers', nunca se disseram com Queen...

Tendo dito isso, esse disco é genial, detesto discos ao vivo, ao vivo mesmo só vídeo, mas esse é uma exceção, esse e o Live Magic de 86, que não é sensacional, mas por ter sido meu 1º disco do Queen é especial :)

Marcello L. a.k.a. Maddy Lee disse...

Diegão,
acho que como a maioria das pessoas da minha época comecei pelo A Night At The Opera e logo corri atrás dos anteriores. Gosto tanto da banda que nem quis escutar esse com o P Rodgers, me cheira a oportunismo, mas se eles tocassem um material variado, com músicas do BC e também de outras bandas, acho que seria fuderoso! Tipo, os velhinhos se divertindo no palco, sacou?
Abração.
ML