sábado, 23 de fevereiro de 2008

Mike Stern

Formado em Berklee, o guitarrista americano Mike Stern tem um currículo mais do que invejável: tocou ao vivo e em gravações de ícones do jazz como Miles Davis, Billy Cobham, Stan Getz, Joe Henderson, Jaco Pastorius, Michael Brecker e David Sanborn, para citar só alguns, e também fez parte do Blood, Sweat & Tears entre 1976 e 1979.

Através dos anos o guitarrista desenvolveu um estilo que passeia pela fina linha de fronteira entre o jazz e o jazz/rock fusion, sempre tocando sua surrada Fender Telecaster devidamente ‘envenenada’. Essa guitarra se transformou numa espécie de marca registrada, principalmente pelos timbres únicos, em se tratando de uma Telecaster, tanto que a Yamaha resolveu lançar uma série de guitarras baseada nesse instrumento, com assinatura do próprio Stern, e que ele inclusive vem utilizando ultimamente, além da ‘velha companheira de guerra’. (Confira aqui)

Entre indicações ao Grammy e outros prêmios (foi eleito pela Guitar Player o melhor guitarrista de jazz no ano de 1993), Stern vem lançando discos com material próprio com bastante regularidade desde 1983, onde demonstra ser ótimo compositor, além de grande solista e improvisador. Em seus discos as participações de várias feras do jazz, amigos de longa data, são constantes; entre eles podemos destacar o saxofonista Bob Berg – falecido em 2002 e homenageado com a música ‘Remember (For Bob Berg)’, presente no disco ‘These Times’ de 2003 -, os irmãos Michael e Randy Brecker, John Patitucci, Dave Weckl, David Sanborn, Dennis Chambers, John Scofield, Bill Frisell e muitos, muitos outros.

Apesar de não ser tão conhecido como outros grandes guitarristas, Mike Stern é um dos meus preferidos no instrumento, não só pela técnica impecável, mas principalmente por conseguir transmitir uma grande variedade de emoções em suas interpretações, graças a ter de sobra o ‘feeling’ que falta em tantos outros guitarristas (principalmente nos jazzistas mais modernos).

Se você quiser pesquisar mais detalhes sobre Mike Stern, acesse o site oficial aqui, que vale à pena. Finalizando, eu não poderia deixar de agradecer e enaltecer minha querida, amada, idolatrada, salve, salve Janis/Paloma, ex-parceira de Delirium Dust, que me presenteou com essa belíssima discografia; mais uma vez obrigado, obrigado, obrigado!!

Links (4,89kb) – Sharebee

18 comentários:

alice in wonderland disse...

cara, voce ta muito exagerado! desse jeito haja hd!
eu tenho o time in place e é um disco maravilhoso, agora vou ter todos, muito maneiro!
bejos.
saudade.

alice

Marcello L. a.k.a. Maddy Lee disse...

Querida Alice,
pode ir preparando o bolso pra comprar vários CDRs e/ou DVDRs, porque tem muita coisa boa por vir.
Beijaço!
ML

JF disse...

Grande Post..Gostei deste trabalho!
feliz sua visita SérieEchoes..
Sobre o Lightness sou amigo do álvaro e tiraram seu Blog do ar..
assim como muitos outros Blogs excelentes...
Fiz um convite para ele juntar seu blog com a SérieEchoes
..vamos aguardar..
Saudaçõs e parabens..
JF

Esquadrão SS disse...

Marcellão, queria agradecer pelo Fábio Zuffanti. O cara é muito bom! Só um detalhe não preenche por completo. Que é o fato da voz feminina. O meu gosto se restringe muito a jazz e congêneres. Mas a produção é espetacular.
Sobre o Stern, ouvi poucas coisas dele sempre pessoas recomendando. Nunca tive a oportunidade de poder ouvir um trabalho completo. Agradeço novamente.
O colega JF falou sobre o alvaro e solange. Tomara que voltem. Os dois postavam discos que não fazia idéia nem que existiam e acabava por surpreender diversas vezes.
Abraço a todos!

Robur, The Loch Ness Monster disse...

Tô falindo graças ao Pantano Eletrico.
Obrigado amigo

Marcello L. a.k.a. Maddy Lee disse...

JF,
valeu pela visita! Quando tiver notícias do Álvaro deixe um recado. Valeu!
Grande Rodolfo,
gosto é gosto, com o tempo a gente acaba gostando do que não gostava e deixando de gostar de outras coisas também, pelo menos você passou a conhecer o trabalho do cara e deixou sua opinião, totalmente excelente! Quanto ao Stern, se ainda não tiver baixado nada, te indico o Upside Downside e o Time In Place, pois foram os primeiros que conheci dele e me conquistaram de vez.
Robur,
de monstro do pântano pra monstro do lago: sua falência pelo menos terá uma trilha sonora ao seu gosto! rsrs
Abraços pra todos!
Valeu!
ML

GRAVETOS & BERLOTAS disse...

Diiiiga, rubronegro ladrão!
Maddy, confesso ser um ignorante quase completo em Mike Stern, apesar dos elogios de muitos companheiros de 6 cordas. Gosto demais de Scott Henderson e o pouco que escutei do Stern me pareceu muito diferente do Henderson. Ele tem algo com uma 'pegada' um pouco mais pesada? Se tiver, me indique.
ROOOOOOOOOOOUUUUUUUUUUUBBBBBBOOOOO!
[]ÕES

Marcello L. a.k.a. Maddy Lee disse...

Faaaaaala, hombre!
Nem vou entrar mais na questão futebolística, pra não ofuscar o brilho da conquista de mais uma Taça Guanabara. Chooooooraaaa! rsrsrs
Vou te dizer, do pouco que conheço o Henderson tem algumas diferenças, sim. O Stern é mais orgânico, tem mais feeling (como eu disse na resenha), mas quanto à pegada, sei não... O Stern tem uma veia meio roqueira, usa uma distorção aqui outra ali, mas ele é jazzista, assim como o Henderson, então...
Baixa um ou outro, aleatoriamente; todos os discos são muito bons, mas comece pelos 4 primeiros, se nenhum fizer a tua cabeça, pode desistir.
Qualquer coisa, entre em contato.
Abração!
ML

woody disse...

Ô das Berlotas se não conheces o Mike Stern estais marcando e não é pouco não. Sabe aquele banner que encabeça o meu blog? É justamente um close na mencionada Yamaha envenenada com Di Marzio do Mr. Stern, foto tirada durante a apresentação dele aqui no Bourbon Street em Sampa (o efeito é de exposição e não de Photoshop). O cabra é dos bons toca muuuito é tem um timbre todo particular. Belíssimo post meu caro Maddy, estenda meus cumprimentos a Janis.

Abraço,
WOODY

Marcello L. a.k.a. Maddy Lee disse...

Woody,
valeu!
Mais ou menos em 88 ou 89, vi um show do Bob Berg e lá pela terceira música o Stern entrou pra tocar uma ou duas, bebum total, e acabou ficando até o fim, solando sem parar. O cara é foda! rsrsrs
Abração.
ML

GRAVETOS & BERLOTAS disse...

Woody, conheço Mike Stern sim, mas pouco. Ouvi algumas vezes em fitas no carro do Arthur Maia pois, se não me falham estes já cambaleantes neurônios, ele estava se preparando pra uma apresentação com o cara, acho que no Mistura Fina/RJ, e não impressionou a nenhum de nós dois apesar de inegavelmente tocar pracaralhoabeça. Os timbres eram muito limpos (bonitos, é verdade, e recheados de chorus) e lembravam os do Ricardo Silveira. As músicas também iam por essa praia, meio instrumental Parque da Catacumba (local onde, no Rio, realizaram-se vários shows pós-praia durante alguns verões dos 80) que, por sinal, gosto bastante mas é um gênero bem lounge.
Já o Scott Henderson conheço muuuiiito e sou vidrado na sua pegada, daí a minha pergunta se o Stern tinha algo com uma pegada mais roquenrou.
Mas vou seguir as orientações fornecidas por vcs e vou experimentar aos poucos. Ruim com toda certeza não é.
[]ões

woody disse...

Aê berloteiro, ele pode não ter impressionado vcs, mas lá no início dos anos 80, qdo Miles Davis resolveu voltar a ativa, ficou impressionado com a técnica do jovem Stern e acabou convidando o cabra para tocar na banda dele. A união está registrada no disco The Man with the Horn, We Want Miles (ao vivo), ambos em 1981, e também no Star People(83) onde ele divide a guitarra com John Scofield. aproveita e dá uma orelhada nesses também.

Marcello L. a.k.a. Maddy Lee disse...

Brother Edson,
tenho uma tremenda admiração pelo Ricardo Silveira, mas ele não dá nem pro chulé do Stern, nem nos timbres, além de eu achar o Stern um cara que privilegia o feeling, apesar de ser técnico pra caramba.
Que saudade dos shows no Parque da Catacumba, curtição total, mas um dos piores shows que já vi foi lá, o do Yellowjackets.
Valeu, Woody, vou correr atrás desses aí.
Abração.
ML

GRAVETOS & BERLOTAS disse...

Ok, vocês venceram! Batata frita!
Vou baixar o último dele.
O que falei é que não duvidamos, nem eu ou Arthurzinho, da técnica do Stern. Muito pelo contrário. Talvez foram as composições escolhidas para o set list que nos passaram uma sensação meio esquisita de déja-vu pra um músico já tão comentado na época (se não me engano era a sua primeira visita).
E Maddy, concordo: Yellowjackets é muito muzak, prefiro até mesmo o Spyro Gyra (pelo menos seus primeiros discos), hehehe.
[]ões

Marcello L. a.k.a. Maddy Lee disse...

Fala Edson,
já que você se rendeu à galera, depois quero ler suas impressões sobre o maluco.
Yellowjackets really sucks! rsrsrs O Spyro Gyra eu até que gosto até o disco Breakout (acho que é esse o nome), mesmo não sendo lá grande coisas, mas o anteriores são bons mesmo.
Valeu!
Abração.
ML

GMotta ZN disse...

Pessoal, eu escrevi a partitura de Chromazone (Guit and Bass) ... somente a melodia.
Pra quem interessar veja em http://estacaozn.blogspot.com/2008/06/chromazone-guitar-and-bass.html
Curto mto o Stern, mas tenho que confessar que demorei um pouco a gostar de fusion. Quem acabou me influenciando de vez foi o Henrique Band (brotherzão das antigas), que ficava ouvindo exaustivamente Pastorius (dentre muitos outros sons). Logo, eu estava ouvindo tudo e qqr coisa, desde de que o bass fosse o Jaco. Conseqüentemente, inevitavelmente, comecei a ouvir o Stern ...
Desde então .... fusion .. a lot
Vlw grande brohter, Band!

GramophoneMan disse...

Man, estou conhecendo teu blog agora. Fui fisgado pelo post sobre Mike Stern do qual sou fã. Como tambem toco guitarra tenho algns materiais dele (material de aprendizado inclusive). Valeu pelo post, e vou continuar bisbilhotando em teu blog. Se tiver tempo e paciencia da uma passada no meu blog onde escrevo sobre alguns discos/artistas que acho relevantes para a música do mundo.
Abraços.

Marcello 'Maddy Lee' L. disse...

Faaaaaala, HomemVitrola!
Cara, antes de tudo, seja mega-bem vindo! Nem acredito que uma postagem que já tem mais de 3 anos ainda atraia alguém! rsrsrs Espero que os links ainda estejam ativos...
Mike Stern é o cara! Toca muuuuuito! Já andei bizoiando uns vídeos de aula dele e são bem bacanas, também.
Espero que você encontre mais coisas do teu interesse por aqui.
Vou lá visitar teu blog.
Valeu!
ML