terça-feira, 11 de março de 2008

A Revolução Pacífica





A Quiet Revolution - 30 Years Of Windham Hill (2005)
4 CDs boxset







Em meados dos anos 70 William Ackerman, depois de muito ralar como violonista e ainda sem gravadora, bolou um plano para lançar seu disco independentemente. A estratégia era a seguinte: em troca de um disco seu, que dentro de alguns meses ele entregaria em mãos a cada pessoa, ele pedia um depósito em uma quantia equivalente ao preço de um LP barato; com o dinheiro coletado ele conseguiu financiar as gravações, a prensagem de algumas cópias para ressarcir os investidores e mais algumas para vender, além de produzir a capa e tudo o mais. Para realizar tudo isso era necessário abrir uma firma legalmente, assim surgiu a Windham Hill.
A estratégia deu tão certo que logo outros artistas, parceiros e amigos se juntaram a Ackerman.

A partir de sua proposta musical, surgiram os padrões que fizeram o sucesso da gravadora: música instrumental, basicamente calcada no folk e jazz; artistas não muito conhecidos do público em geral, mas com qualidade e técnica impecáveis; visual ‘clean’ para os lançamentos, caracterizados por imagens de paisagens cotidianas. Em pouco tempo veio o sucesso mundial, escorado nas músicas que evocavam contemplação e beleza, e que fez a cabeça do grupo cada vez mais crescente de esotéricos do mundo todo; logo o rótulo ‘new age’ não se desvincularia dos lançamentos da Windham Hill. É claro que com o sucesso, uma onda new age marcou uma parte dos anos 80 e fez surgir vários ‘genéricos’ mundo afora.

Entre altos e baixos, a gravadora perdurou, ampliando o leque de artistas e estilos musicais, abarcando também a chamada ‘world music’, além de música étnica e algumas vertentes do jazz.

Para comemorar os 30 anos que fariam em 2006, em 2005 lançaram essa caixa com 4 CDs, batizada de ‘A Quiet Revolution: 30 Years Of Windham Hill’, onde deram uma geral nos arquivos, escolhendo a dedo os artistas e suas músicas mais representativas. Cada CD é dedicado a um tema específico, respectivamente, ‘Elements’, ‘Peace’, ‘Artistry’ e ‘Excursions’. A primeira música é a mesma que abria o primeiro disco de Ackerman, ‘The Bricklayer's Beautiful Daughter’; daí por diante desfila-se o melhor já produzido por artistas como o próprio William Ackerman, Alex De Grassi, Michael Hedges, Liz Story, George Winston, Michael Manring, Darol Anger, Mike Marshall, Shadowfax, Scott Cossu, Mark Isham e Tim Story, entre muitos outros.
Uma história e tanto, que nos brindou com muitas músicas de qualidade e que embalaram muitos bons momentos de muitas pessoas em todo o mundo nas últimas 4 décadas.

Dedico esse post ao grande Sr. do Vale: esse é pra você fazer as pazes com a patroa... rsrsrs Abração, meu camarada!

Disco 1 – Elements
17 faixas, VBR 192/256
Parte 1 (60,65mb) – Sharebee
Parte 2 (47,35mb) – Sharebee

Disco 2 – Peace
16 faixas, VBR 192/256, 97,98mb
Sharebee

Disco 3 – Artistry
16 faixas, VBR 192/256
Parte 1 (68,2mb) – Sharebee
Parte 2 (48,05mb) – Sharebee

Disco 4 – Excursions
18 faixas, VBR 192/256
Parte 1 (64,22mb) – Sharebee
Parte 2 (50,76mb) – Sharebee

7 comentários:

Rochacrimson disse...

Fantastico!
Obrigadao Maddy Lee!

Sr do Vale disse...

Estupefado,
Anestesiado,
Emocionado.

Grande Maddy, espero que ela goste, pra quando for viajar, possa colocar na vitrola do carro(antes que você pergunte...no carro também tenho vitrola), e ela não peça para eu tirar.

Sobre a idéia de fazer um som alternativo, realmente foi dissiminado pelo mundo afora, e por diversos motivos. Lembro-me de casos no Brasil, onde as gravadores exigiam do músico um certo modelo, quando o músico tinha uma música que fazia sucesso, eles queriam que o cara fizesse sempre a mesma música, parecidinha, então o cara partia para lançamento indepêndente, pra poder fazer aquilo que ele tinha vontade e prazer.
Neste interim, criou-se um público que procurou exatamente os indepêndentes, havia mais crédito, temos muitos nomes no Brasil nesta lista (Itamar Assumpção, Hermeto, Egberto, a turma todo do movimento Lira Paulistana, entre outros).
Acho que o modelo de blogue que fazemos, támbem é alguma coisa que vem desta raíz, somos remanescentes do alternativo e fim de papo.

Meu Veio, um grande abraço e muito obrigado.

Marcello L. a.k.a. Maddy Lee disse...

Grande Rocha!
Andavas sumido, meu caro! Espero que você aprecie devidamente.
Mr Valleyman,
enquanto perdurar e$$a ordem mundial, com certeza muitos focos alternativos se instalarão, mesmo que seja somente como uma pequena forma de protesto ou com atitudes mais contundentes, cada um do seu jeito. Aqui, modestamente, tento espalhar um pouco de Cultura através da Arte, principalmente a Música, e, graças ao meu gosto bastante eclético, mostrar que o preconceito não faz parte da minha maneira de ver o mundo.
Alternativas, sempre, desisitir, jamais! rsrs
Abraços pra todos.
Valeu!
ML

Rochacrimson disse...

Estou sempre visionando as pérolas preciosas na blogosfera!
Show de bola essa boxset!
Obrigadão!

Andrew disse...

Muchas Muchas Muchas Muchas Muchas Muchas Gracias por este maravilloso post.

Taonadamente

Marcello L. a.k.a. Maddy Lee disse...

King RochaCrimson,
mais uma vez te agradeço pela presença e pelos comentários!
Andrew,
muchas muchas muchas muchas muchas muchas gracias por seu comentário! Seja bem vindo: mi casa, su casa.
Grande abraço.
ML

Big clash disse...

Salve, Maddy Lee...
vim retribuir a visita...seu blog tá muito bacana e vejo que curte literatura e HQ, além da boa música...muita trilha sonora...
bem...percebo que a viagem será divertida...hehehe...
Estou incluíndo um link do Pântano lá no Fuxuca...
Abraços.