terça-feira, 26 de maio de 2009

Aperte, Acenda e Aperte o Play

De acordo com a Wikipedia, morcheeba significa the way of marijuana; eu já conhecia a expressão cheeba cheeba, que se refere à erva do capeta e foi uma gíria muito usada pelos hippies, mas nunca com esse ‘mor’ aí na frente... Seja lá o que for, o nome cai como uma luva para o som da banda. Ooopss... Peraí, peraí!!... A parada é um pouco mais complexa do que isso, porque não é, na realidade, uma banda assim como estamos acostumados.

O Morcheeba foi formado na Inglaterra pelos irmãos Paul e Ross Godfrey depois que eles conheceram a cantora Skye Edwards numa festa regada a muita... Você sabe o quê, hehehe... Paul é DJ e baterista e Ross um multi-instrumentista que nos mostra em seus discos um jeito bem pessoal e preguiçoso de tocar guitarra, com solos e ‘comentários’ muito bem colocados e de extremo bom gosto. Ambos já vinham tendo a idéia de formar uma banda ou coisa que o valha, mas nunca se contentavam com os e as vocalistas com que trabalhavam. Até conhecerem Skye. A menina é dona de um timbre daqueles que gostaríamos de ficar ouvindo por dias e dias sem parar, só acendendo um na ponta do outro; e ela canta macio, gostoso, num clima tão preguiçoso quanto a música que fazem em geral.
Logo no início, com o disco ‘Who Can You Trust?’, lançado em 1996, já fizeram um tremendo sucesso com o single de ‘Trigger Hippie’, que tocou à exaustão mundo afora. Esse disco logo foi catalogado junto com a ‘onda’ trip hop que vinha ganhando fama à época, mas ao passo que o som de bandas como Portishead e Massive Attack eram mais deprê (ou o que eu chamo de bad-trip hop), o som do Morcheeba tinha algo mais ensolarado, com os pés no pop e a cabeça na Jamaica.

Como trip hop é só mais um rótulo mesmo, os malucos logo começaram um processo pra se livrarem dele; o que foi feito através da inclusão das mais diversas influências da música mundial, o que, ao invés de descaracterizar o som da banda, os fez seguir um caminho único, passeando na fronteira entre o tal trip hop e o pop da mais alta qualidade (seria um trip pop??), com elementos de reggae e dub, orquestrações, rap... O resultado foi o magnífico disco ‘Big Calm’, de 1998, que os fez estourar de vez em todo o mundo.

Mas a realidade é que o sucesso, ainda mais um assim, meio que súbito e estrondoso, nem sempre faz muito bem aos artistas... Depois de uma turnê desgastante, e tendo que cumprir contrato, foi lançado em 2000 ‘Fragments Of Freedom’, que, mesmo longe de ser ruim, ficou aquém daquilo que muitos esperavam deles musicalmente. Mas isso também é uma opinião minha, pessoal, porque esse disco também vendeu muuuuito e rendeu um mega hit (que, se não me engano, até tocou numa novela dessas da Globo) a música ‘Rome Wasn’t Built In A Day’ – que foi a que alcançou as mais altas posições nos charts em toda a carreira do Morcheeba. Apesar disso tudo, a banda já começava a ruir. Depois do lançamento de ‘Charango’ em 2002 (que teve uma vendagem bem abaixo do esperado), os irmãos Godfrey, os donos do Morcheeba (que como eu disse lá em cima, não é exatamente uma banda...), simplesmente deram o bilhete azul pra Skye. Ninguém diz explicitamente, mas isso tudo tem um forte cheiro de ciumeira das brabas, porque era ela quem recebia a maior parte das atenções do público e da imprensa. Então lá se foi a menina tentar carreira solo - depois de umas boas férias ela acabou lançando um disco muito bom, em 2006, (diga-se de passagem, melhor que o do Morcheeba sem ela...) chamado ‘Mind How You Go’.

Voltando aos chapados Godfrey... Eles tinham que cumprir seus contratos, então chamaram a cantora Daisy Martey (da obscura banda Noonday Underground) para a vaga deixada por Edwards, mas logo depois de terminadas as gravações de ‘The Antidote’ os malucos a mandaram embora, sendo substituída, ao vivo, por Jody Sternberg. Foi nessa turnê que eles tomaram a decisão de que o Morcheeba não teria mais uma vocalista fixa e resolveram, também, experimentar vocais masculinos. Assim, desta forma, foi gerado ‘Dive Deep’, de 2008, o último lançamento deles até agora, que conta com os vocais de Judy Tzuke, Thomas Dybdahl, Cool Calm Pete, Bradley Burgess e Manda, sendo que esta última é quem acompanha a banda ao vivo atualmente. Vale dizer também que desde o início eles sempre contaram com vários músicos contratados e muitos convidados em seus discos.

Estou disponibilizando aqui os seis discos do Morcheeba, sendo que os cinco primeiros com encartes completos. A meu ver, os dois primeiros discos são daquele tipo essencial em qualquer discoteca que se preza, o que não quer dizer que os outros sejam ruins, longe disso, é que 'Who Can You Trust?’ e ‘Big Calm’ são mesmo discos muito especiais. Além disso, incluí um extra com três faixas: a maravilhosa versão de ‘Summertime’ (com Hubert Laws na flauta), que faz parte do disco 'Red Hot + Rhapsody', que já foi postado aqui no Pântano, mais ‘What's Your Name?’ e ‘Cant Stand It’, que fazem parte da coletânea ‘Parts Of The Process’.

Agora só falta o seu comentário e como diria meu irmãoSinho Edson D’Aquino: ‘vamu fazê fumaça!!’ rsrsrs
Divirtam-se sem moderação.

Wikipedia

Links (3,06kb) – Sharebee

Este post contém algumas surpresas, é só procurar...
This post contains some Easter eggs...

11 comentários:

Noslen ed azuos disse...

fala aí chapado, mais que ñ conhecia, então vamos fumar um para ouvir, valeu...

ns

woody disse...

Du Caraio, adoro esse trio, trip-hop da melhor qualidade.

Abraço,
WOODY

Edson d'Aquino disse...

KKKKKKKKK...aquele maluco fumando um cachimbão do demo é hilário. Bem, Morcheeba vc já sabe que vou passar, né? Tem uma coisinha ou outra que gosto mas acho que não consigo encher nem uma compilação, hehehe. Mas é de qualidade inquestinável; é mais por questão de gosto pessoal pelo gênero, mesmo.
Mas, mudando de assunto, o novo do Tortoise que vc me enviou o link tá show de bola!
[]ões

Marcello 'Maddy Lee' L. disse...

Graaaaaaaaaaaaaaande Noslen Apoen!
Passa a bola, véi!! rsrsrsrs
Esse é o som pra se escutar bem acompanhado... rsrsrss

Faaaaaaaaaaala, Woooooooody!
Pegou o disco da Skye?

E aí, irmãoSinho? Beleza?
Ri bagarái com o maluco, mas ele só faz fumaça, fumar que é bão, nada... rsrsrsrsrsrsrs
Pô, não dá pra fazer uma coletânea com as melhores do Morcheeba?!?!? Meu amigo, me perdoe a insistência no tema (rsrs), mas se você conseguiu fazer uma colet. dupla (ou tripla?) do Billy Joel... Sinceramente, não sei nem como nem por quê você não curte bagarái o Morcheeba - mistéééériooo... rsrsrsrs
Dei uma orelhada meio superficial no Tortoise e também gostei, mas quero parar pra ouvir com mais atenção, só tá me faltando tempo.
Agora, o novo do Wilco também tá muuuuuito bão!

Abraços, maluKos.
Valeu, maluKos!
ML, maluKo

Edson d'Aquino disse...

KKKKKKKK...pois é...mas não tem mistério nenhum: o Billy Joel tem quase 20 discos, mesmo tendo interrompido a carreira no início dos '90 e só retornado na década seguinte com um álbum (bem bacana, por sinal) de peças eruditas para piano interpretadas por um 'chinezinho'(acho que dessa vez acertei, hehehe) fera.
Mas, por falar em Wilko, fiquei sabendo que o Jay Bennett faleceu neste domingo.
[]ões

Gorpo disse...

Faaaaala Marcelão, Voce como sempre botando pra quebrar... Excelente postagen aqui.

Novo blog do Pirata

http://cafofozooso.blogspot.com/

Dêm uma olhada e me adicionem se for possível. Valeu? Mais uma vez obrigado.

Abraços

Marcello 'Maddy Lee' L. disse...

Graaaaaaaaaande sap brenfeiro!
Cara, que má notícia essa... Daqui a pouco vai começar a aparecer um monte de lançamentos póstumos, quer valer?

Faaaaaaaaaaala, Pirata Gorpo!
Já vou adicionar à lista, é claro!
E o Gramophone, abandonou?

Abraços.
Valeu!
ML

Rochacrimson disse...

O álbum da Skye está genial!
Obrigadao Marcelo!

Marcello 'Maddy Lee' L. disse...

Faaaaaaaaaaala, Roooooochaaaa!!
Maravilha! Eu também gostei bastante desse disco.
Valeu, meu amigo.
Grande abraço.
ML

Tia Zulmira disse...

caramba, que surpresa..achei que vc tinha ido de vez...hehe! eí, você não curte nada brasileiro,digo, musicalmente falando? se puder da uma lida nos meus outros posts ok?
aquele abraço!

Marcello 'Maddy Lee' L. disse...

Queriiiiiiiida TiaZul!
É claro que curto um monte de músicas brasileiras! É que tenho poucos discos de MPB e dou preferência a postar meus próprios CDs aqui, mas volta e meia solto alguma coisa (postei a discografia do Lenine já tem algum tempo, por exemplo). Mas se você quiser alguma coisa, é só falar que, no mínimo, eu acho uns links pra você, mesmo que eu não faça um post, OK?
Ontem eu li todos os seus posts mais novos, mas vou voltar lá pra te fazer outra visita.
Beijaço!
ML