terça-feira, 12 de maio de 2009

A Máquina Siamesa Da Melancolia E Da Tristeza

O Smashing Pumpkins foi fundado por Billy Corgan e James Iha em 1988, logo após a dissolução da The Marked, da qual Corgan fazia parte. No início eram os dois mais uma máquina de ritmos (uma dessas baterias eletrônicas programáveis) bem tosca; faziam um som fortemente influenciado por bandas góticas e pós punk inglesas. Após um show conheceram D’arcy Wretzky, que logo foi chamada para assumir o baixo. Depois da primeira apresentação como um trio, o dono da casa onde se apresentaram, o Cabaret Metro, disse que os contrataria por uma temporada se arrumassem um baterista de verdade, em vez daquela horrenda máquina de ritmos que usavam. Foi a vez de Jimmy Chamberlin se juntar ao grupo. Sendo Chamberlin um baterista de jazz, com pouco conhecimento de rock alternativo, novos ingredientes foram acrescentados ao caldeirão dos Abóboras, que cresceram (e muito) com as novas percepções de dinâmica, ritmo e harmonia advindas da experiência de Jimmy.
Em 1991 conseguiram gravar seu primeiro disco, ‘Gish’, produzido por Butch Vig, e já aí começaram os rumores de que Billy era um ‘ditador tirânico’, porque ele chamou a responsabilidade pra si e gravou, sozinho, a maior parte dos instrumentos, com exceção da bateria (o que acabou se tornando a regra da banda em estúdio). 'Gish' já mostrava uma das grandes características do som da banda, que é a alternância entre arroubos de peso e uma leveza quase etérea. Corgan tinha vários planos, ele queria conquistar o mundo ou, ao menos, trazer o mundo exterior ao seu próprio planeta...

Com o estouro do grunge e de ‘Nevermind’, do Nirvana, as bandas de rock alternativo começaram a ter uma maior exposição na mídia; como contemporâneos e americanos, os Pumpkins por um tempo ganharam o rótulo grunge, coisa de que em pouco tempo se desvencilharam, graças ao lançamento de ‘Siamese Dream’, que trazia canções mais complexas do que as de bandas como Soundgarden, Pearl Jam ou Alice In Chains. Em ‘Siamese Dream’ foi forjado o som que os distinguiria de tantas outras bandas, com dezenas de camadas de guitarras, acordes dissonantes, constantes variações de clima (não só entre uma música e outra, mas também dentro de várias canções), além das letras personalíssimas de Billy Corgan, que tem um senso poético/lírico bastante incomum.

Com o reconhecimento de crítica e público estabelecido, Billy Corgan se preparou para mais um longo e importante passo dentro de seus planos, que resultou em ‘Mellon Collie And The Infinite Sadness’ e suas 28 músicas distribuídas em dois CDs (3 LPs). Um passo altamente ambicioso esse, mas que se mostrou perfeito: ‘Mellon Collie...’ é o disco duplo dos anos 90 que mais vendeu cópias em torno do mundo; até hoje não foi superado por nenhum outro lançamento do tipo. Neste álbum a banda nos mostra todas as suas influências, que vão do rock mais básico ao progressivo, passando por heavy metal, folk e psicodelia, entre outros. Com ele veio o mega-sucesso e uma extensa turnê; o que acabou agravando os problemas de relacionamento entre os membros da banda. Jimmy Chamberlin, um notório viciado em cocaína e alcoólatra, que já vinha dando vários vexames dentro e fora dos palcos, no último deles foi preso graças a uma overdose de heroína que acabou também por matar Jonathan Melvoin, tecladista que acompanhava a banda ao vivo.
Foi a gota d’água para a expulsão de Jimmy da banda.

Com a saída de Chamberlin, resolveram se tornar um trio, e assim lançaram ‘Adore’, em 1998, com algumas mudanças na sonoridade e no estilo da banda, com uma maior aproximação com a eletrônica e com o rock gótico, o que os levou a apresentar um visual mais sombrio e enigmático do que até então demosntravam. Mesmo com essas mudanças, continuaram no auge de seu sucesso. No meio da turnê de ‘AdoreJimmy Chamberlin, reabilitado, voltou à banda. Com ele gravaram o álbum seguinte ‘Machina / The Machines Of God’, que foi o último com a participação de D’arcy; no lugar dela entrou Melissa Auf Der Maur (ex-Hole).

Em meados de 2000 Corgan anunciou o fim da banda, que só duraria até o fim daquele ano, após o lançamento de um último álbum e a subseqüente turnê de despedida. Este álbum veio a se chamar ‘Machina II – The Friends & Enemies Of Modern Music’ e foi lançado de maneira totalmente inédita até então: era um álbum duplo e mais três EPs na mesma embalagem, que só teve a tiragem limitadíssima de 25 cópias, porém com permissão e instruções da banda para que os fãs espalhassem essas músicas pela internet – a idéia original era lançar esse material para download grátis para aqueles que tinham comprado o ‘Machina’, mas como a gravadora vetou essa possibilidade, Corgan resolveu lançá-lo independentemente.

Após o fim, entre os anos de 2001 e 2007, cada um seguiu seu caminho; Corgan e Chamberlin formaram o Zwan; Au Der Maur lançou disco solo, Chamberlin e Corgan também lançaram discos de seus próprios projetos e James Iha participou e colaborou com várias bandas, entre elas A Perfect Circle e Auf Der Maur.

Mas Corgan não desistiu dos seus planos de conquistar o mundo... Depois de um período de baixa, ele resolveu reformar o Smashing Pumpkins, com Jimmy Chamberlin e outros músicos contratados, que formariam a nova banda. Gravaram então ‘Zeitgeist', lançado em 2007, que tentou resgatar a sonoridade original da banda, mas com resultado irregular, apesar do disco não ser ruim (em minha opinião, é pouco inspirado musicalmente). Em março passado Chamberlin deixou a banda mais uma vez. Agora Corgan está fazendo audições com vários bateristas para continuar gravando e fazendo shows, o mais cotado, por enquanto, é John Dolmayan (ex-System Of A Down).

Essa é a história resumida de uma das minhas bandas preferidas, quem quiser mais detalhes, pode acessar a página deles na Wikipedia, de onde tirei a maior parte dessas informações.
Eu acho que se o Nirvana não tivesse estourado daquele jeito absurdo, o Smashing Pumpkins teria sido ‘a banda' dos anos 90, por um motivo bem simples: nenhuma outra banda soa como eles, com esse estilo autêntico e diferente, tanto que até hoje não vimos ainda uma banda-clone, do jeito que existem por aí vários clones de Nirvana, Pearl Jam, Soundgarden, e tantas outras da época.
Pra finalizar, estou disponibilizando a discografia oficial completa, sendo que incluí o encarte completo de vários discos; além disso, também tem uma quantidade bem grande de singles, EPs, coletâneas e raridades, além de um bootleg que eu ganhei, chamado ‘Blackout’, gravado na turnê do ‘Mellon Collie...’, com gravação excelente e que ainda traz a participação do Cheap Trick em algumas faixas. Quem quiser achar algumas das capas que eu não incluí, pode acessar o Mega Search, que lá deve ter todas as outras. Agora só faltam os seus comentários...
Divirtam-se!!


CoversMega Search

Wikipedia

Links (7,42kb) – Sharebee

22 comentários:

Edson d'Aquino disse...

Já conversamos sobre os Pumpkins e vc sabe que, não fosse pela voz de taquara rachada desse bicho de goiaba ditador, seria uma banda (???) quase perfeita. Tenho uma coletânea made by me que não consigo ouvir até o fim apenas por causa da voz do Corgan.
Já ouviu o 1º solo do James Iha? É muuuiiito bão.
[]ões

Marcello 'Maddy Lee' L. disse...

Faaaaaaaaaaala, camarada brenfeiro!
Pois é, a voz do cara é mesmo meio enjoativa, mas também não é assim em todas as músicas; se não fosse isso, como você mesmo disse, seria perfeito.
Os shows deles também são muito bons! Pelo menos eram, com a antiga formação, não sei agora.
Valeu, irmãoSinho!
Grande abraço.
ML

Marcello 'Maddy Lee' L. disse...

Esqueci...
Tenho o solo do Iha, realmente muito bom, nada a ver com o SP. No geral, os discos de todos os que passaram pela banda também são bem bacanas.
Valeu!
ML

Dri Viaro disse...

Oi, estou passando pra conhecer seu blog, bjs boa semana

aguardo sua visita :)

Lawrence David disse...

É, eu ouvi pouco, camaradas. Gosto de algumas músicas aqui e ali. Tenho alguma dificuldade com guitarras muito distorcidas. Elas perdem um pouco o som e desarmonizam a melodia. A voz do Corgan não chega a atrapalhar, no meu caso. Nunca vi algo de muito novo no som. Mas as letras, convenhamos, são uma apologia ao pessimismo, herança certamente oitentista o que os garante como uma das bandas mais importantes na transição 90-00.

Acho a postagem legal, quem não conhece deve baixar pra conferir, eu vou pegar alguns que não conheço.

valeu Maddy
LD.

DAGON disse...

Fala ae xará, conheço muito pouco dessa banda, como fiquei meio parado nos anos 70 e 80 o que veios dos 90 assimilei pouca coisa, exemplo que não vejo nada demais no Nirvana e prefiro mil vzs o Soundgarden, rs.

Do Pumpkins só conheço três músicas que foram muito executadas em rádios e acabava ouvindo numa ou outra viagem de ônibus já que era obrigado a ouvir a rádio. As músicas eram, Disarm, 1979 e Tonight e gosto de todas elas, são canções bélissimas. Diz ai Maddy qual seu disco preferido deles? Vai ser por ele que vou começar, hehe.

Abração.

Tia Zulmira disse...

Oi Bia!! Senti falta de estar em contato com vocês!Por sinal tenho sentido falta de tantas coisas!Ei, Oi!Senti falta de estar em contato com vocês!!Que curioso encontrar um post do smashing pumpkins aqui, pois esses dias mesmo estava ouvindo um cd coletânea que a 89 lançou com a revista deles há mil anos e tinha uma deles lá, fazia um tempão que não ouvia!ei,você sabe que quem é vivo sempre aparece não é? Bem, foi isso que aconteceu com o Tia Zulmira: ele está vivo!Precisou ir para o outro lado do mundo pra ressucitar, hehe!Também está com algumas novidades de layout em todos os textos (inclusive nos mais antigos que ninguém comentou ainda)...Te espero por lá!
ps: o quê fizeram com a zona do café?!

Progshine disse...

Acabei não vendo mesmo Marcellão, mas nem precisava comentar, Smashing Pumpkins é minha banda favorita fora do Rock progressivo sem sombra de dúvida, pena que comecei a ouvir na época do MACHINA e acabei ficando muito tempo 'na seca' rs.
Acho que é exatamente por isso que o MACHINA é o meu disco favorita da banda.
E vcs tem razão, tanto o disco do Iha Let It Come Down (que é maravilhoso), quanto o do Jimmy Chamberlin Complex Life Begins Again são ótimos discos, o que eu já não posso dizer do solo do Corgan The Future Embrace só pq me traz a parte dos pumpkins que eu não gosto a 'eletrônica'.

Marcello 'Maddy Lee' L. disse...

Dri,
depois vou passar para conhecer seu blog.
Boa semana.

Faaaaaaaaaala, Mr. Lawrence!
É, tem muita guitarra distorcida, isso atrapalha mesmo a música... Será que ninguém avisa isso pra esses malucos que gostam de uma distorção? Que coisa... rsrs
Fico imaginando essas guitarras barulhentas aí, mandando uns acordes menores dissonantes bagarái e o cara cantando sobre a felicidade de ter visto uma joaninha passeando numa pétala de rosa; uma bela imagem... rsrsrsrs

Graaaaaaaaaaande Dagon!
Cara, vai no Siamese Dream e, depois, no Mellon Collie. No Gish tem uma música que eu tenho certeza que você vai chapar, é logo a primeira, se chama I Am One - phodaça!
Acho que você vai curtir a banda, porque eles têm várias músicas bem pesadas. O Corgan e o Iha sempre elogiaram muito várias bandas de metal, como Pantera, Judas Priest, Metallica, entre outras, e assumem que o heavy metal tem grande influência no som deles.

Mariana TiaZul!!!
Quanto tempo!
Mas que Bia é essa aí?!?! Acho que você confundiu as paradas... rsrsrsrs
É muito bom saber que você está voltando à ativa, depois vou lá te visitar.
Então a menina aí gosta do Smashing Pumpkins, é? Subiu mais ainda no meu conceito! rsrsrsrsrsrsrs

Faaaaaaaaaala, Diegão!
Véi, dessa eu não sabia... Foi aplicado tardiamente, então. Chegou bem no fim da festa... rsrsrs
O disco do Chamberlin realmente é excelente. Como eu não tenho absolutamente nada contra eletrônica, gostei muito do disco do Corgan também.

É isso aí, galera, valeu!!
Abraços pros caras, beijos pras meninas.
ML

Lawrence David disse...

Hahaha, como eu sou mala! Hahahahah, adoro sarcasmo e ironia, Hahahahah, tu sempre me quebra as pernas, Maddy. Eu não gosto mesmo disso, meu negócio é prog.

Valeu

LD

Marcello 'Maddy Lee' L. disse...

Graaaaaaaaaande Law!
Eu tive que dar uma sacaneada... rsrsrsrs Esse negócio de não gostar de distorção é o primeiro passo pra uma velhice precoce (bem, estou presumindo que você seja ainda um jovem senhor... rsrsrs).
Fico imaginando você sendo apresentado a uma dessas bandas death metal, tipo Krisium... rsrsrsrs
Abração, maluKo!
ML

ayresrio disse...

Grande Mister Lee.
Rssssssss,agora tem q ser assim,rsrsrsrsr,essa banda arrebenta gosto muito do estilo.
Ja ta indo pro saco.
Não tive como me conter de tantos risos,quanto ao comentario do Sapo Brenfeiro,ele é demais,vive me chamando o do Crepe Brenfeiro,coisas do Berlota,grande irmão.
Ah nada de tristezas ou melancolias.
ABRAÇOS AYRES RIO.

☻RT☻ disse...

Otimo post pra relembrar o lendario SP muito 10 na minha opiniao uma das melhores bandas que conheço e apesar de muito dizerem que o vocal do billy é ruim , pra min é isso que diferencia a banda e deicha os cara com cara de smashing pumpkins e smashing pumpkins diferente de algumas bandas com vocais semelhantes tipo pearl jam, creed, e stone temple pilots isso na mo briga shaushuah.... Bom parabens pelo blog e se quiserem vizitar meu blog o endereço é http://wallrockers.blogspot.com site de wallpapers de bandas com mais ou menus 700 wallpapers ^~ tbm aceito parceria vlw abraços

Marcello 'Maddy Lee' L. disse...

Faaaaaaaaaala, bueno Ayres!
Véi, não entendí o que você disse com isso: 'agora tem q ser assim'. Boiei...
Também ri bagarái com essa do Edson (rsrsrs); agora, você vê, ele até gosta um pouco do SP, imagine o que diria se não gostasse... rsrsrsrsrsrs
Valeu, ô brenfeiro do crepe!! rsrsrs

RT,
Pode deichar que vou vizitar seu blog, e não vou fazer por menus: vou chamar os cara pra ir lá, além de min mesmo. mo legal, meu.
vlw, aê, abçs shaushuah e tudo o mais...

Valeu!
ML

ayresrio disse...

Ora Maddy vc daqui a pouco estara,
na terra de Tio Sam,esta foi a referencia do mister rsrsrsrsr entendeu agora o do Carajas rsrsrsr,cara espero te conhecer ao vivo antes da tua viagem,e ñ vou furar rsrsrsrsr.
Abração AYRES RIO.

Tia Zulmira disse...

oi marcelo!! cara, primeira coisa a dizer: você notou que no meu ultimo post para você eu colei o começo de um post para outra pessoa? que horror! descurpa mesmo...é que eu escrevi a mensagem de "I'm back" pra algumas pessoas, antigos visitantes!sério que o Pântano está indo para o brejo??Caramba, e a Zona do Café então? Tomou chá de sumiço e eu nem pude aproveitá-la? hehe, trocadilhos a parte, por que parar com o pântano se a internet está em todo lugar??bem, também não tenho muita moral nesse assunto né?vai entender as vontades de nossa alma caótica né?bem, de qualquer forma curti muito seus posts,seus comentários...espero que agente continue a se esbarrar nesse mundo véio sem porteira da "blogsfera"! que Deus abençõe sua estada nos steites!ah, por sinal meu irmão tá indo pra lá tbm, ele chega em agosto, vai pro kansas estudar! e vc pra onde vai?
aquele abraço!

Marcello 'Maddy Lee' L. disse...

Faaaaaaaaala, Ayres!
Agora saquei! rsrsrsrsrs
Assim que eu souber quando poderei estar no Rio, pode ficar tranks, você saberá, aí vamos combinar uma zona com a galera.

Querida TiaZul,
eu reparei, sim, foi pra Bia, nossa jovem avozinha. Sem problema.
Trocadilhos à parte, ainda estou pensando no destino do Pântano, mas assim que eu resolver, farei um post explicando tudo.

Abraço pro maluKo e beijo pa maluKinha.
Valeu!
ML

Progshine disse...

E eu sei, viu mocinho, de onde vc tirou essa imagem aqui (http://1.bp.blogspot.com/_Uwfj4nkrMc0/Sgj2IQzd3YI/AAAAAAAACUA/8-iFyKE9Nhg/s400/005%2B.jpg) vou processá-lo por uso inapropriado de material com copright e...

HAUHAUHAUAHUAHUAHUAHAUHAUA

(essa foi boa vai rs)

Marcello 'Maddy Lee' L. disse...

Diegão, El Pateta!!
Antes de tudo, agradeço pelo 'mocinho'... rsrsrsrsrsrsrs
Agora, eu peguei a imagem no Gúgol ímaj, como faço com quase todas as outras postadas aqui, sem sequer ver de onde elas estão saindo.
De qualquer maneira, nesse teu link eu vi a imagem mas não de onde ela foi tirada... Foi você quem tirou a foto e fez a montagem? rsrsrsrs
Abração!
ML

Progshine disse...

huahauhaua foi sim Marcellão, eu tb peguei essa imagem no GúGol, e fiz uma montagem bem meia boca com o nome da banda (fiquei com preguiça, mas dava muito bem pra tirar os espaços em branco do meio da imagem rsrs

Dá uma olhada ai, algumas ficavam legais, outras nem tanto rs (obs a do Zé Ramalho não fui eu quem fez huhaua)
http://bandascompletas.wordpress.com/

Cultura Malcriada - disse...

E aí, véio!

Rapaz... tô relapso, não tô!? FIquei uns dias sem aparecer e aí vejo um super post sobre o Smashing Pumpkins! Tinha que comentar.

Quando o Smashing Pumpkins apareceu na mídia com o Siamese Dream, todo mundo ficou ligado! Não demorou muito e eles vieram tocar aqui no Brasil no Hollywood Rock e, numa sorte daquelas, eu vi o show (que nem era a atração que eu queria ver) e fiquei de boca aberta. Muito bons os caras!

Hoje o Billy Corgan ainda causa polêmica indo direto aos fãs buscando financiamento do seu próximo album.

Belo post, "Carmelito"!

Marcello 'Maddy Lee' L. disse...

Graaaaaaaaaande Pateta!
Caramba! Eu nem lembrava desse seu blog! rsrsrsrs

Faaaaaaaaala, Malcriado!
Véi, que relapso que nada! Eu é que nem tenho aparecido por lá...
Lembro bem daquele Hollywood Rock, a atração principal era o The Cure, antes do SP teve o White Zombie e quem abriu a noite, se não me engano, foram os Raimundos. Todos os shows foram muito bons!

Valeu, maluKos!
Abraços.
ML