segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Arti & Mestieri

De acordo com nosso querido amigo Edson d’Aquino, presidente da birosca conhecida como Gravetos & Berlotas, Furio Chirico é “o melhor baterista desconhecido de todos os tempos”. Bem, meus caros, se o cara é assim tão desconhecido eu não sei, mas, se dependesse de mim, ele ganharia a fama e a notoriedade a quem tem direito – afinal, estou postando aqui, pela terceira vez, a discografia dessa excelente banda italiana, que mistura jazz, progressivo e rock com uma qualidade que pouquíssimas conseguiram atingir: Arti & Mestieri.
Furio Chirico, natural de Torino, Itália, iniciou-se como baterista profissional na excelente banda The Trip (cuja discografia eu postei aqui há pouco tempo), com quem gravou os discos ‘Atlantide’ e ‘Time Of Change’, até que a mesma terminasse. Ao ficar ‘desempregado’, Furio montou sua própria banda, batizada como Arti & Mestieri, onde pôde explorar sua paixão pelo jazz e outros variados ritmos, junto com os amigos Gigi Venegoni (guitarras e sintetizadores), Beppe Crovella (teclados), Giovanni Vigliar (violino, vocal e percussão), Arturo Vitale (saxofones, clarinete e vibrafone) e Marco Gallesi (baixo). Essa foi, na verdade, a primeira de muitas encarnações da A&M, já que ao longo dos anos o grupo tornou-se mais um coletivo do que uma banda especificamente, tendo até alguns desdobramentos como a também excelente Venegoni & Co.
Dentre a discografia, dois discos têm enorme destaque, são justamente os dois primeiros: ‘Tilt - Immagini Per Un Orecchio’, de 1974, e ‘Giro Di Valzer Per Domani’, de 1975; duas obras-primas que deram notoriedade e respeito e, também, influenciaram muitos artistas do mundo inteiro com sua incrível fusão de rock progressivo com jazz, rock e todo o tipo de boa música. Todos os discos têm muitas improvisações, espaço para todos os músicos brilharem e uma espontaneidade incrível, já que a maior parte das músicas foi gravada num só take, praticamente ao vivo no estúdio, ou em apresentações.
Seria injusto destacar um músico ou outro, já que o nível de todos os envolvidos é altíssimo, mas Beppe Crovella e Gigi Venegoni, por terem contribuído com mais freqüência que a maioria dos envolvidos, deixaram suas marcas e ajudaram a criar e amadurecer o som muito próprio da A&M. Ao que me consta, a banda continua na ativa, mesmo sem lançar um disco de inéditas desde 2005 vem fazendo apresentações em festivais e em vários lugares do mundo – tanto que, em 2009, foi lançado em CD o registro de uma apresentação no Japão (‘First Live In Japan’). Só nos resta, agora, esperar para que lancem mais novidades e/ou que se apresentem em alguma boa casa de shows perto de nós...
Como eu escrevi lá em cima, essa é a terceira vez que posto essa discografia. A primeira vez foi no Delirium Dust e foi a causa de mais uma daquelas malditas notificações da DMCA. A segunda foi aqui mesmo n’O Pântano Elétrico, aproveitando os links que eu tinha subido para disponibilizar lá no DD. Agora, fiz uma trabalho um pouco melhor re-upando tudo, inclusive com outras versões com bitrate mais alto e alguns encartes que encontrei por aí. Só ficaram de fora o disco ‘First Live In Japan’ e o EP ‘Il Grande Belzoni’ (ambos de 2009), que não consegui achar em lugar nenhum – e fica aqui o pedido para que, se alguém os tiver, que possa nos fazer as honras.

Pra finalizar, como sempre: divirtam-se! E lembrem-se que comentários são muitíssimo bem vindos!

Site Oficial
MySpace 1
MySpace 2
Prog Archives
Site de Furio Chirico


NOVOS LINKS!! (re-up em 23/07/12) – Mirror Creator 

24 comentários:

Edson d'Aquino disse...

Diiiiiiiiiiiiiiga, mermãoSinho!
Enquanto o bicho tá apegando ainda por cona dessa história de malwares, resolvi dar uma passada pra -finalmente!- comentar a Okta Logue e dou de cara com essa super-banda do magistral e hoje já não tão desconhecido assim Furio Chirico. Bem, como já tenho tudo, em muito graças a vc, vou pro OL.
[]ões

Never Too Old To Rock disse...

Vou apreciar e analisar para verificar se a informação do Edson d’Aquino é quentem. Se for não me surpreendo pois a galera que frequenta o blog são verdadeiros disseminadores da cultura denominada rock n' roll. P

Parece que vocês tem uma templevision,só que ela não omite e sim trás as informações que ninguém possui sobre o rock, que vem além do domínio da Federação
Solar. (pegando carona na viajem de 2112 do rush. rsrsrsrsrs...)

Vou ouvir e depois retorno.

Grande Maddy Lee, Dungeon Master do Pântano Electric e do plano Z, dê uma passada lá no ritmosublime e veja se conhece a banda de Epic Doom Metal que postei.
Som incrível, o primeiro álbum leva vantagem sobre o segundo, mas ambos são demais. POde fazer indicações já que você mora na Doom City.

P.s. Encontrei o segundo álbum em 320kbps, postei o de 160kbps porque percebi que a galra não faz muitos downloads de álbum com mais de 100MB. Se quiser passo o link.

Marcello 'Maddy Lee' L. disse...

Faaaaaaaaala, El BerlotaRocker!
Cara, ainda bem que até agora essa história do malware passou longe daqui... Aliás, whataporraisthat fuckin' malware!?!?!? rsrsrs
Uma dica pra vosmecê: baixa a lista de links, no final dela tem um link só com as capas e encartes que eu, devidamente enfumaçado, esqueci de anexar às pastas dos discos... hehehe

Graaaaaaande El Juvenil!
Véi, não sei bem dessa história do bitrate; eu faço questão de achar dos mais altos, seja VBR ou 320, 256, tá bonito.
Eu, Edson e mais um bando de camaradas estamos aí, com nossos blogs, disseminando "a cultura denominada rock n' roll" já tem algum tempo, no meu caso desde 2005; mas esse é um "trabalho" da vida toda, desde que gravei a primeira fita cassete pra dar de presente pra alguém.
Arti & Mestieri é papa fina, só sonzeira; não tenho nenhum medo em dizer que você vai curtir bastante - bem, se não curtir, não precisa mais voltar aqui... rsrsrsrsrsrsrsrssrs

Abraços pros amigos!
Valeu!
ML

Rochacrimson disse...

5 estrelas!!!!!!!!!
Show de bola!!!
Só conhecia o Tilt!
Valeu Marcello!

Marcello 'Maddy Lee' L. disse...

Graaaaaaaaande Rooooooocha!
Acho que você vai pirar com o "Giro de Valzer..."

Andas sumido, meu amigo...

Aquele abraço!
ML

Raissa Guilhon disse...

Po, Marcello, valeu pela visita e pelos elogios. Me sinto lisonjeada. :) vou sim te indicar no meu blog, não porque vc sugeriu, e sim pelo conteúdo. Bom demais, como eu digo : Supimpa. HUAHAUHAUHAA


Abraços

Marcello 'Maddy Lee' L. disse...

Faaaaaaala, Raissa N'Roll!
Supimpa é um elogio pra lá de batuta!! rsrsrsrsrs
Agora que chegou, cheia de simpatia, aproveite a casa para fazer a festa - tem muita música da boa pra você curtir aqui (e no Plano Z também!).
Valeu por tudo!
ML

Never Too Old To Rock disse...

Rapaz... eu jurava que tinha voltado aqui e relatado a experiência de ouvir Arti & Mestieri.

Acho que viajei. Sobre o que o Edson d’Aquino falou concordo até o momento, Furio Chirico toca demais, uma bateria imprevisível, floreios precisos e umas putas variações de andamento que deixam o cara de queixo caído.

Vou citar dois bateristas que o povo nem fala, mas os acho feras: Richard Stevers do Frijid Pink, ainda está na ativa com sua bateria voodoo frenética; e Carlos Graça do Peso, gravou só um disco mais o considero um dos melhores bateristas brasileiros juntamente com Gustavo Schroeter da Bolha.

Não me pergunte o por quê. Simplesmente os acho originais e tiravam um som agradável.

Sendo ainda mais polêmico, mesmo achando John Bonham e Keith Moon feras, considero Nick Mason dos Floyds o melhor de todos, sendo que essa história de melhor não faz sentido no rock n' roll.

E é difícil porque ainda tem Neil Peart do Rush, e a pessoa não consegue imaginar o rock sem esses caras.

Marcello 'Maddy Lee' L. disse...

Faaaaaaaaaala, El Juvenil!
Realmente esssa história de 'o' melhor ou melhores não faz o menor sentido... rsrsrsrs Todos são muito bons, senão não teriam chegado onde chegaram, mesmo que muitos permaneçam obscuros. Dos melhores é difícil falar, mas dos piores, posso citar o Marcelo Bonfá (Legião Urbana) como um dos piores dos piores que já vi e ouvi tocar... rsrsrsrsrsrs
O Arti & Mestieri é um celeiro de músicos excelentes, mas o Furio se destaca, até porque é o 'dono' da banda. hehehe

Abração!
ML

Never Too Old To Rock disse...

Sobre a postagem do Ritmo Sublime sobre Porcupine Tree, já deixei lá nos comentários a importância do seu post sobre eles aqui no pântano.

Eu já falei pra vc, eu tinha um preconceito acho que pelo nome, mas o seu os seu textos de apresentação me ajudaram a abolir aquela velha opinião formada sobre tudo. E hoje graças ao seu trabalho fantástico pântano tenho a discografia completa e ouço sem moderação.

O tempo da postagem do Porcupine Tree aqui no blog é meu tempo de fanatismo. Antes tarde do que nunca.

Valeu!

Marcello 'Maddy Lee' L. disse...

Faaaaaaaaaaala!
PoiZé, com certeza, é verdade, mas é que eu sou esquecido bagarái! rsrsrsrsrsrs
Vou voltar lá no Never Too Old.
Abraço.
ML

José Miranda disse...

Grande Maddy Lee,

Há que tempo não passava por aqui!!!
Depois de alguns acidentes informáticos (1 - disco "aterrou" e perdi muita informação - felizmente não foi o secundário que serve de backup (ás vezes, eh eh eh).
2- O computador morreu mesmo - tive de arranjar outro, configurá-lo e instalar milhentas coisas) já estou a 95 porcento e navegando que nem um doido para recuperar todo este tempo perdido.

Tenho alguns destes albums e, claro, vou descarregar os outros.

Abraços

José Miranda

Marcello 'Maddy Lee' L. disse...

Graaaaaaaaande Miranda!
Quanto tempo, meu camarada! Esse post do Arti & Mestieri tem o poder: trouxe de volta você e o RochaCrimson - totalmente excelente! rsrsrs
Agora que você está com computador novo, espero que também tenha tempo para passar aqui mais vezes - até para aproveitar tudo o que tenho postado.
Aliás, aproveite para conhecer o Plano Z, que tem muita coisa boa por lá também.
Abração, meu amigo, e não suma!
Valeu!
ML

progrockmaniac disse...

Grande Maddy Lee. Caraca!!!!, já faz um tempão que não venho por aqui. Muito tempo mesmo. E o seu blog continua perfeito desde o início. Grande abraço para o véio amigo RochaCrimson também. Seguinte: Vc já ouviu falar em Weltraum? É uma banda alemã trilhando pelos caminhos do psych/space rock. Vc tem como postar os trabalhos deles por aqui? Grande abraço Marcelão.

Marcello 'Maddy Lee' L. disse...

Faaaaaaaaaaaaala, El Maníaco!
Caraca, doido, não tô falando?!?!!? Esse post tá ressuscitando a galera que estava sumidaça! Isso é mais do que totalmente excelente!
Véi, não sei se tenho a discog completa do Weltraum, provavelmente não. Na verdade, nem estou achando qualquer disco deles nas minhas planilhas, mas como elas também estão mega desatualizadas... Eu sei que devo ter pelo menos uns 2 discos. Vou ver se acho alguma coisa; aí, o que eu conseguir, disponibilizo aqui ou no Plano Z, valeu?
Bom te 'ver' por aqui de novo, vê se não some!! rsrs
Grande abraço.
ML

Maria Dias disse...

Eu voltei pq ali é meu lugar..E gostei de te ver por lá.

Marcello 'Maddy Lee' L. disse...

E aí, queridona, beleza?
Se é assim, então seja bem vinda de volta!
Eu também gostei de te ver por aqui.
Beijaço!
ML

progrockmaniac disse...

Grande Maddy Lee. Fico no aguardo das postagens dos dois Weltraum. Um grande abraço e bom fim de semana. Muita paz e saúde.

Marcello 'Maddy Lee' L. disse...

Faaaaaaaala, El Maníaco!
Cara, numa pesquisa preliminar, em meus discos de backup, não encontrei os discos do Weltraum; agora estou viajando, quando voltar pra casa (mês que vem) vou fazer uma busca mais rigorosa e aí, achando os discos, mando ver aqui, OK?
Aquele abraço!
ML

progrockmaniac disse...

Valeu meu véio. Grande abraço.

Marcello 'Maddy Lee' L. disse...

Valeu, El Maniac, valeu!
ML

Edson d'Aquino disse...

Eita que a Raissa Guilhon certamente é parente da 1ª Dama do G&B, Cris Guilhon. A começar pelo sobrenome e, para completar, a origem nortista pois a família da patroa -e confeiteira do melhor biscoito de aveia do mundo, né, broDim?- é do Pará.
[]ões

Marcello 'Maddy Lee' L. disse...

Faaaaaaaala!
Véi, passa lá no Sensações e Insônia pra bater um papo com a Raissa N' Roll que a menina é puro roquenrol, mái frênd! Acho que ela é mesmo paraense.
Aquele abraço!
ML

Anônimo disse...

Tive a feliz oportunidade de os ouvir e conhecer pessoalmente em Abril 2013. Assinaram-me um funil feito em metal por um artesão que todo o grupo adorou. Tive a oportunidade também de dizer ao Furio que ele era um dos melhores bateristas do mundo, comparável a Billy Cobham (Não se pode comparar com qualquer um). Em síntese, muito simpáticos e afáveis. Carlos Soares