sexta-feira, 10 de julho de 2009

2

Continuando a contagem, agora é vez de dois discos de cada banda/artista. Além de todos esses, ainda tem uma banda de prog brasileira, que só não escrevo aqui qual é porque senão o tecladista/vocalista vai aparecer pedindo pra tirar os discos... Quem quiser se aprofundar um pouco mais nessa questão, é só conferir aqui no blog Voo 7177.
Falta pouco...
Divirtam-se!

Blur


Parklife (1994)
13 (1999)

Conheci o som do Blur já no primeiro single (‘She’s So High’) e desde então virei fã e eles nunca me decepcionaram, sempre fazendo discos bem variados. Infelizmente eu perdi quase todos os discos deles que eu tinha em um incêndio, só me restaram esses e a coletânea que já postei aqui. ‘Parklife’, não à toa, é considerado o melhor do Blur; eu o considero um dos melhores dos melhores dos anos 90; já ‘13’ mostra um lado mais experimental, com toques eletrônicos que talvez venham da influência do produtor desse disco, William Orbit.

Claude Bolling & Jean-Pierre Rampal


Suite For Flue And Jazz Piano Trio (1975)
Suite For Flue And Jazz Piano Trio No. 2 (1987)

Claude Bolling ficou famoso por lançar vários discos em que, à frente de seu jazz trio, contava com a presença de um convidado especial; esse disco de 75, com o flautista Jean-Pierre Rampal, talvez seja o mais famoso e, também, o que alavancou a sua carreira.

Dream Theater


Images And Words (1992)
Awake (1994)

Acho que todo mundo já tem esses discos, mas não resisti a postá-los aqui, simplesmente porque são totalmente excelentes. Acho que o Kevin Moore fazia a diferença, tanto que depois que ele saiu a banda ficou um tempo meio perdida...

Emerson, Lake & Palmer


Trilogy (1972)
Bain Salad Surgery (1973)

Falando sério, eu quase detesto o Keith Emerson, mas me amarro muito no ‘Trilogy’ e em alguns outros também; já o ‘Brain...’ eu não curto muito (tudo bem, podem me xingar... rsrsrs), mas como esses são os únicos CDs deles que eu tenho, resolvi compartilhar com a galera.

Franz Ferdinand


Franz Ferdinand (2004)
You Could Have It So Much Better (2005)

Fui a dois shows dessa banda, ambos no mesmo lugar, no Rio, e posso dizer que foram shows que marcaram não só a cidade como também a própria banda – totalmente excelente!! O disco de 2004 é sensacional, o outro nem tanto, mas também tem seus ótimos momentos.

Jethro Tull


Minstrel In The Gallery (1975)
Songs From The Wood (1977)

Não tem muito o que se dizer sobre o Jethro Tull além do óbvio: uma das melhores bandas de todos os tempos. Qualquer disco deles que eu disponibilizasse aqui seria ótimo, mas tenho uma relação especial com esses dois, então aí estão.

Mutantes


Tudo Foi Feito Pelo Sol (1974)
Tecnicolor (1999)

Aí estão duas faces dos Mutantes, a multifacetada psicodélica/jovem-guardista/tropicalista e a fase progressiva. Gosto de tudo o que eles fizeram, até as músicas ruins... rsrsrs

Oasis


Definitely Maybe (1994)
(What’s The Story) Morning Glory? (1995)

Taí uma banda superestimada. Muitos falam da influência de Beatles e Stones no som dos caras, até os próprios, mas acho que isso é só uma estratégia para mascarar as verdadeiras fontes do que eles fazem: T. Rex, Kinks, Jam, entre outros, tudo misturado em doses diferentes. O som nunca foi nenhuma novidade, mas é feito com competência, e esses dois discos são os melhores deles; depois, tudo o que fizeram foi reciclá-los ad aeternum...

Os Paralamas do Sucesso


Arquivo (1990)
Severino (1994)

Das bandas brasileiras surgidas nos 80 Os Paralamas Do Sucesso sempre foi uma das minhas preferidas, desde o começo, quando emulavam The Police e The Clash, até hoje, depois de tantos caminhos tomados e percalços deixados pra trás. ‘Severino’ é meio que um 'disco-lado-B', lançado numa época em que andavam meio em baixa; é inspirado diretamente no primeiro solo de Herbert (‘Ê Batumaré’) e conta com as ilustríssimas presenças de Phil Manzanera, Brian May, Linton Kwesi Johnson, Tom Zé, Egberto Gismonti e Fito Paez.

Quaterna Réquiem


Velha Gravura (1990)
Quasímodo (1994)

Velha Gravura’ figura, com louvor, entre os melhores discos de prog do Brasil e é um dos meus preferidos mesmo entre zilhões de outros de bandas estrangeiras também. Em ‘Quasímodo’ eu sinto falta do violino de Kleber Vogel, mas também é um disco bem acima da média. Além de tudo, Cláudio Dantas, além de excelente batera (e artista das ótimas capas desses discos), foi muito simpático quando eu e Janis disponibilizamos esses discos no finado Delirium Dust.

Queen


A Night At The Opera (1974)
News Of The World (1977)

Dois discaços. Todo mundo conhece, todo mundo deve ter, mas não resisti a colocá-los aqui...

Rick Wakeman


The Six Wives Of Henry VIII (1973)
The Myths And Legends Of King Arthur And The Knights Of The Round Table (1975)

Dois discaços. Todo mundo conhece, todo mundo deve ter, mas não resisti a colocá-los aqui... hehehe

The Rolling Stones


Big Hits (High Tide And Green Grass) (1966)
Voodoo Lounge (1994)

A primeira coletânea oficial e o último disco realmente bom dos Stones; só pra não dizer que nunca postei nada deles aqui... rsrsrs

Stevie Ray Vaughan & Double Trouble


In Step (1989)
The Sky Is Crying (1991)

Stevie Ray Vaughan era tão bom, mas tão bom que chegou a influenciar vários guitarristas que surgiram antes dele (e que o devem ter influenciado também...) e muitos mais que surgiram depois; morreu de forma trágica, no auge, mas ao menos nos deixou um legado de primeiríssima linha, todos clássicos do blues/rock. Escolhi esses dois discos por terem, cada um, algumas das músicas que mais gosto: ‘Riviera Paradise’ (do ‘In Step’) e a versão de ‘Little Wing’ (de Jimi Hendrix) do ‘The Sky Is Crying’ – simplesmente perfeitas.

Toque de Midas


Toque de Midas (1994)
Todo Mundo (1997)

Toque De Midas é uma banda do sul de Minas Gerais que fazia um pop honestíssimo e competente; tanto que foram apadrinhados por Milton Nascimento (que participa no primeiro disco, cantando e tocando sanfona). Aproveitem porque eu nunca vi esses discos por aí e estão totalmente fora de catálogo.

Vitor Ramil


Ramilonga – A Estética Do Frio (1997)
Tambong (2000)

Vitor Ramil é irmão dos cantores Kleiton e Kledir, mas a música dele está alguns degraus acima desses; ele é, em minha opinião, um dos melhores compositores brasileiros desde os anos 80 e ótimo cantor, também. ‘Ramilonga’ só não é o meu preferido porque ‘Tambong’ é praticamente uma obra-prima da MPB, um disco surpreendente, com várias participações especialíssimas e dois ótimos covers de Bob Dylan – se eu fosse você não deixaria passar esses discos de jeito nenhum...

The White Stripes


White Blood Cells (2001)
Elephant (2003)

Ah, essa banda sem baixo e com uma baterista horrível! rsrs Fala sério! Tem gente que adora os odiar, mas mesmo com isso (ou apesar disso) Jack White nos presenteia com excelentes composições, refrões ganchudos, ótimas guitarras e interpretações; e até que a Meg é bonitinha... rsrsrsrs

Yes


The Yes Album (1970)
Union (1991)

Além do ‘Yessongs’ esses foram os únicos CDs do Yes que me restaram; eu já pensei em postar a discog completa, mas como não tenho um diferencial em que me basear (tipo encartes completos e rips com alta qualidade), acabei desistindo. ‘The Yes Album’ é, facilmente, um dos melhores deles, já ‘Union’ divide os fãs, mas eu gosto muito desse disco, mesmo achando que eles poderiam fazer lançamentos separados - um disco do AWB&H e um EP do Yes com o Rabin.


Link (8,64kb) - Sharebee

8 comentários:

alice in wonderland disse...

porra marcello caralho puta q pariu!! vc foi embora mas deixou um monte de maravilhas pra gente. muito louco o qto o nosso gosto tem tudo a ver
descontando o satriani q eu de-tes-to, os titãs q fazem muita pose e o toq de midas q eu nunca ouvi, eu gosto muito muito muito de todos os outros mas como tenho muitos desses vou baixar so uns poucos.
bejos com muitas saudades (ja!!!!)

alice

Franck disse...

Graaaande Marcello!!!!
Cómo has estado, tanto tiempo!!.
Te cuento que ahora por fin encontré trabajo así que me ausento de casa por dos semanas completas al mes, y descanso otras dos, así que las dos semanas de trabajo no tengo internet....
Este post está espectacular, que gran selección de buenos discos...
Te mando un abrazo y luego te escribo de nuevo

Edson d'Aquino disse...

Porra! Ninguém comentou ou é vc q tá esmerilhando o saco e se entupindo de junkie food pra matar a larica? hehehe
Então, lá vai, aproveitando uma folga por aqui:

-Blur...é...tem uma coisinha ou outra interessante...UUUHHUUUUU!!!;

-Só conheço o primeirão e é muito bonito, quase um clássico;

-Grande Dream Theater, hoje tão incensada quanto demonizada. De minha parte, sou um grande admirador até pq conheci-os no berço e tenho todos os cds originais. E seu último disco tá chapante, um de seus melhores trabalhos;

-Se vc quase odeia o Keith Emerson, eu sou o contrário. Escolheu 2 belos exemplares da discog dos caras. Na verdade, gosto de tudo até o 'Works' (apesar dos exageros aqui). Mas o meu predileto é esse 'Trilogy'; até hoje não consegui dominar todas as nuances (verdadeiras armadilhas!) dos fraseados de 'Living Sin' mas sigo tentando. Quem sabe um dia...;

-Nunca assisti shows dos caras mas curto bastante esses 2 disquinhos aí. Já o último é ruim pra daná;

-Esses do JT mereciam, acrescidos de 'Heavy Horses', estar na sequência '3' pois fazem parte de uma trilogia mais voltada para o lado folk da banda. Uma de minhas bandas prediletas de prog;

-A melhor banda brasileira (e uma das maiores da psicodelia mundial) de todos os tempos não podia ficar de fora;

-Curto demais Oasis e concordo em GNG&D com sua análise das influências da banda. Também concordo q estes são os melhores discos da banda mas não acho q estejam constantemente reciclando essas influências. Meu único senão vai para a banda podre da família Gallagher, Liam. Mil vezes Noel, a força criativa da banda, como vocalista;

-E chegamos ao Paralamas. Enquanto tiveram fôlego, fizeram um trabalho impecável e obras-primas como 'Selvagem?', 'Bora Bora', 'Big Bang', 'Os Grãos' e 'Severino'. Honestidade musical a toda prova;

-Curto o Quaterna Requiem (tenho estes 2 originais e paguei uma merreca) mais pela honestidade de propósitos. Poucas vzs consegui escutá-los inteiros pois adormecia antes;

-Queen foi uma banda q segurei no colo e continuaram completamente desconhecidos no Brasil (fui dos poucos que comprou todos seus LPs conforme saiam) até o estouro de 'A Night...'. Considero o 'News Of...' seu último grande trabalho. Claro que sempre conseguiam encaixar algumas grandes músicas em todos os lançamentos posteriores mas, no geral, esses discos eram marcados pela mediocridade. Quando resolveram retomar a grande forma dos áureos tempos, com 'Innuendo' de 91, veio a morte de Freddie e o sonho dos fãs de 1ª hora foi-se pelo ralo;

-Rick Wakeman é outro que merecia ter sido postado no '3' pois a trinca com 'Journey To...' é matadora;

-Milagres acontecem! Rolling Stones n'O Pântano! E em 2 fases totalmente distintas;

-Como SRV faz falta. Sem dúvida, o guitarrista de blues mais influente dos últimos 20 anos;

-Mermão, esses 2 discos do Toque de Midas tem em cachos lá no saldão daquela lojinha. Vou baixar pra ver qualé e se curtir vou lá comprar os 2 por 5 merréu. Por falar nisso, chegou a baixar o VERSO lá no G&B? Acho q vc vai gostar;

-Vitor Ramil é muito bom, ao menos pelo pouco que conheço. Vou baixar o 'Tambong';

-tsc...tsc...tsc...WS é o maior desperdício de grandes composições q conheço;

-Yes vou passar batido pq gosto bagarai de todas as fases, mesmo as piores (que ñ são poucas);

Ufa! Agora deixa eu ir trabalhor.
Seu saco já deve estar todo cheio de escaras, né? Vê se aproveita e 'limpa' a contra-capa do Exile. Não adianta, vou te encher o saco!
Pescotapas com vontade!

Guzz Lightyear disse...

Faaaaala Maddy Lee!!!

Desde que você fez este post que tenho esperado uma oportunidade pra comentar. Vou falar apenas de alguns itens, a maioria não conheço.

Dream Theater:
Foi por causa deles que eu quis fazer o comentário. Conheci a banda justamente através desses dois discos!! Deles e do vídeo Images and Words :Live in Tokyo.
Os caras tem muita coisa legal, mas esses dois são "os" discos. E por causa deles e mais ainda do vídeo que citei, partilho de sua opinião, Kevin Moore fazia a diferença. Wait for Sleep e Space-Dye Vest são fantásticas.

ELP estã naquela lista de bandas que você me passou, ainda conheço pouco.

Jethro Tull é incrível, apesar de conhecer bastante coisas deles, ainda não conheço a fundo, mas por coincidência Songs from the Wood está entre os favoritos, senão o meu preferido.

Mutantes é uma banda bem legal também, recomendações a sua prima Rita... rsrs

Queen é PHODDA!!! poderia ser outros dois quaisquer, mas esses são demais...
Bohemian Rhapsody, We Will Rock You, We Are The Champions e Love of my Life estão neles, então a escolha foi perfeita!

Stones... já que esse é um post da sérire "2", eu prefiro o "dois" posts que tem deles no Collective Collection. rsrs

SRV, boa escolha, mas também acho o Soul to Soul muito bom!

Yes é praticamente a "farinha" da receita de prog que você me mandou, mas como viciei em Roundabout, acho que o Fragile poderia estar aqui, mas ainda estou engatinhando nesse mundo progressivo!

Abrazz cara, creio que quando eu escrevi esse comentário é bem provável que você já esteja fora do Brasil, ou bem perto disso!

Sucesso cara.

Marcello 'Maddy Lee' L. disse...

Little Alice!!
Porra caralho putaquilparilllllll, sua desbocada du carái!! rsrsrsrsrsrs
Eu também tô com uma saudade absurda, mas tá tudo muito bão por aqui.
PoiZé, nosso gosto musical é mesmo bem parecido - na verdade, talvez você seja a pessoa com quem mais me identifico nesse sentido.

Graaaaaaaaaande Franck!
Boa sorte com seu novo trabalho! Aliás, muito bom isso - trabalhar duas semanas e folgar duas semanas - todos os empregos poderiam ser assim!! rsrsrs

Faaaaaaaaaaaaaala, El Caco Doente!
Que coçando o saco que nada! Aproveito cada segundo de folga pra fazer alguma coisa e/ou conhecer esse meu novo 'universo'.
Deixaste a preguiça de lado e comentou dupla a dupla, hein?! Sensacional! Só uma coisa, que eu mesmo nem me lembrava: eu já tinha postado a coletânea '40 Licks' dos Stones.

Graaaaaande Guzzzzzzzzzzz!
Rapazzzzz, vou te dizer: conheci o Dream Theater através do clip de 'Pull Me Under' num daqueles programas de Metal da MTV (época boa...); depois corri atrás dos discos (eram só o 'Images..' e o primeirão) e virei logo fã, principalente por causa do Myiung - que animal!!
Prima Rita - rsrsrsrs O mais legal é que tenho (de verdade) uma irmã Rita! rsrsrs
Meu amigo, já estou aqui nos izzteitzz desde 01/07!

Abraços pros maluKos!
Valeu!
ML

Edson d'Aquino disse...

Num tindi!
Acho q em todas essas postagens especiais, comentei item por item. Caraca, essa 'la mota' deve ser do veneno mesmo, hehehe.
Mas essa do nº1 vai ser foda! Deixa eu tomar um fôlego, pô!
[]ões

Guzz Lightyear disse...

Faaaaaaala Médili!

Cara, eu conheci o DT de tanto nos ensaios de minha banda o batera e o guitarrista tocaram, as intros de Pull me Under, Afterlife, Ytse Jam e Lie... Nunca saia nada além de uns 30 segundos de cada som... e cada vez que eu entrava no carro do batera rolava o Images & Words... acbei curtindo por lavagem cerebral...

Curti tanto que acabei comprando todos os CDs originais, do primeiro até o Once in a Life Time são originais...

Curto muito o esses caras fazem, mas com uma especial predileção pelos discos postados por você!!!

Bem agora que você é internacional..

Hugzz

Marcello 'Maddy Lee' L. disse...

Faaaaaaaaaaala, El Caco Brenfero!
Liga não, foi só pilha... rsrsrsrs Mas ainda tô esperando a do nº 1... rsrsrsrsrsrs

Graaaaaaaande Guzzzzzzz!
Rapazzzzzz, só pra você babar: na semana passada fui a um show do DT que foi fodaralhaço! Era um tipo de festival itinerante, chamado Progressive Nation 2009; além do DT teve Queensrÿche (pra mim foi o melhor show), Zappa Plays Zappa (marromeno), Bigelf (totalmente excelente!!) e Scale The Summit (uma banda de moleques que faz um progmetal intrumental de primeira).

Valeu, meus amigos, valeu!
Abração!
ML