terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Punks Eletrônicos e Selvagens




Atari Teenage Riot – Burn, Berlin Burn! (1997)




Para definir o som que esses malucos fazem vou recorrer a rótulos tão esquisitos quanto o som que fazem: TechnoPunkMetal, IndustrialMetalCore ou Digital Hardcore (esse é até o nome da gravadora deles e cai como uma luva), mas também pode ser descrito como trilha sonora do fim dos tempos, caos sonoro, esse monte de clichês... Misturando batidas eletrônicas alucinantes e rápidas, distorções, peso, barulhos aleatórios, vocais gritados e saturados de efeitos, estética punk e até alguma coisa de hip hop e drum ‘n’ bass, Alec Empire, Hanin Elias e Carl Crack fazem o Prodigy parecer uma banda de hard rock farofa. Além disso, esses malucos fizeram o show mais selvagem, louco e caótico que já assisti; em certa hora o som já estava tão absurdamente alto que talvez eles nem mesmo se ouvissem no palco, então, talvez por isso mesmo, viraram todos os monitores para o público, aumentando ainda mais o volume dos decibéis e enlouquecendo ainda mais a galera presente.
Aviso aos navegantes: esse disco é uma das maiores antíteses jamais feita ao rock progressivo.

14 faixas, VBR 224, 84,88mb
Sharebee

3 comentários:

GRAVETOS & BERLOTAS disse...

Conheço o som desses malucos aí, Maddy. Graças ao seu belo texto, embora não façam minha onda, é tudo isso aí.
Amigos visitantes deste egrégio espaço virtual, se a sua intenção é expulsar de seu convívio diário aquele vizinho pagodeiro, detonar a patroa mas não tem coragem suficiente para tanto ou enfartar seus sogros, esta é a trilha perfeita para conseguir seu intento.
Experimente, não vais se arrepender, mas um bom par de protetores auriculares é aconselhável.
Abrações.

ProgShine disse...

Digital Hardcore ficou sensacional! :)

Pode deixar Marcelo, Avisarei com certeza! :)

Marcello L. a.k.a. Maddy Lee disse...

Edson, acho que a principal preocupação e maior intenção deles ao gravarem esse disco era realmente afugentar vizinhos caretas! rsrsrsrs
Diegão, mantenha contato!
Grande abraço.
ML