quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

Instrumental da Capital




Kadu Lambach - Last Blues (1997)




Não há como falar em Kadu Lambach sem citar que ele participou dos primeiros dias da Legião Urbana. Este disco comprova, atesta e conclui o porquê dele não ter ficado na banda: ele toca muuuuito! Sem querer gerar discussões, de antemão declaro que, sim, me amarro na Legião, mas sei reconhecer que não eram grandes músicos, assim como, aliás, eles mesmos sempre fizeram questão de frisar.
Todas as músicas de ‘Last Blues’ foram compostas por Kadu (com exceção de ‘Aurora’ e ‘Conexão Nikiti’, em parceria com Sérgio ‘Lôra’ Carvalho, também produtor do disco). A gravação contou com uma banda ‘base’ formada por músicos de altíssimo nível: Marcos Brito (teclados), André Vasconcellos (baixo) e Leander Motta (bateria e percussão); além de contar com várias participações, entre as quais destacam-se as de Arthur Maia (baixo e vocais), Widor Santiago (saxofone) e Adriano Faquini (vocais).
Altamente recomendado para quem gosta de guitarristas com bom gosto e da boa música instrumental.

11 faixas, VBR 224, 88,94mb
Sharebee

5 comentários:

Sergio disse...

Vou provar do kudu.

Ô, Maddy, certa feita perguntei-lhe sobre o que, no progressivo atual e no dasantigas conheces e eu não, te era significativo pra carái! Mas tipo o Phodão dos phodões! Como disse naquela conversa, tipo o Gentle Gint foi pra mim e ainda é, pra mim e pra muita gente de excelente gosto. Aí vc pediu meu emeio, deu-me uma hora de aula (aula das boas, papo 10) mas me mandou um monte (monte tipo um montão!)de links... Ora, Maddy, se fico em dúvida, diante das capas aqui, sem saber qual escolher, imagine frente a links sem nenhuma informação textual ou visual. Portanto te peço de novo: qual desses que já postastes por aqui (dê-me a dica de uma só banda, uma das véia e uma dos novos) é tudo isso ou tudo aquilo de phodaralhaço! Arrisque-se homem! Mande a dica gigantesca pro amigo. Sou como Gonzaguinha: Eu acredito na rapazeada.

Ps.: Pra modo de comparação, entre o Barão de Cazuza e a Legião, a Urbana queda ao chão.
Um abraço!

Marcello L. a.k.a. Maddy Lee disse...

Fala, Sérgio!
A comparação entre Legião e Barão é, para mim, a mesma entre Beatles e Stones, no final das contas eu acabo gostando de todas essas no mesmo grau (tendendo um pouco mais para os Beatles...), cada um tem sua importância, mas ainda prefiro o Led Zeppelin. E, no final das contas, a música do Kadu não tem nada a ver com nenhum dos citados.
Quanto aos progs, deixa a preguiça de lado, vai lá no Delirium Dust e procura por The Enid (instrumental beirando a música clássica), Sunday All Over The World (projeto do Fripp), o do Peter Sinfield (como fã do King Crimsom vale conferir), os 4 primeiros do Novalis, Hoelderlin (musicalmente remete ao Genesis, mas com temática bem diversa), The Robert Fripp String Quintet, Gatto Marte (discaço), Gatto Cilegia Contro Il Grande Fredo (instrumental Post-Rock); tem muito mais, mas você vai continuar indeciso. Tem um 'live' do Gentle Giant, últimos dias da banda, que também vale à pena conferir.
Escolhi esses mais ao teu gosto, mas Grobschnitt é uma banda que sou fanático e tem discos diferentes entre si, do 1º ao Illegal todos são muito bons, se quiser posso ver uns links pra você.
Me diga aí o que você pretende fazer quanto a isso para eu dar o próximo passo.
Grande abraço.
ML

Sergio disse...

Brodi, va-lheu! Já colei, arquivei e tranferi teu texto pra ir baixando um por um. E ainda te passo minhas impressões dos que mais me impressionaram! Esse do Fripp String já tenho, lembro que me amarrei, mas é ai que tá... né preguiça não mermão, é uma oferta infinitamente maior do que a procura! Lembro que me amarrei no Fripp Sring Quintet, mas se tu não me tivesse relembrado, poderia esquecer que tinha baixado esse álbum... Mas pra falar a verdade, e já te disse isso: estou com preguiça é do prog. Porram... Um último ao vivo do Gentle??? Brincô. Onde tááá?!

Quanto a Barão X Legião, a briga é normal dada época e o sucesso, mas guardemos as devidas proporções, né? Beatles e R.Stones?... E pra ser totalmente sincero, conto nos dedos o que gosto do Legião... Mas aí é gosto e não vamos nos aprofundar. Obrigadão!

Ps.: cumpadi, passa lá em casa, tem um monte de novidades... Ou vc não é chegado a um Jazz top de linha? E eu já tava começando achar que estavas acreditando que meus 2 fura bolos tinham serventia outras que não catar milho no teclado, tirar meleca, coçar o saco e aquelas coisas todas boas que se faz sem ter que apontar nem dedurar ninguém. Parafraseando o dito popular: não achei meus “furas” no lixo não, mermão!

GRAVETOS & BERLOTAS disse...

Maddy, meu véio, assisti parte da gravação desse cd em um estúdio de Niterói. Tenho uma cópia em cassete com 4 músicas sem a mixagem final mas não faço a menor idéia de onde esteja.
Agora vou me atracar no link.
Abrações.

Anônimo disse...

Mas que diálogo interessante, monstros da música e da ecleticidade.
Forte abraço.
Alexandre
SUBURJ.