quarta-feira, 25 de junho de 2008

Neo-Prog do Leste Europeu

Os anos 80 viram a decadência das principais bandas de rock progressivo, parece até que foi algo decretado e que todas elas acataram; talvez por causa do punk ou da disco music, mas também por que as bandas talvez estivessem se levando à serio em demasia, ou por causa da pressão que as gravadoras exerciam sobre essas bandas, para que tornassem seu ‘produto’ mais comercializável... Ou tudo isso junto. Como podemos ver hoje em dia, há e sempre haverá espaço para todo e qualquer tipo de música; talvez, se essas bandas continuassem fiéis às suas propostas, os fãs não a abandonassem, mas isso tudo é muito especulativo e não explica que, mesmo durante a decadência dessas bandas e toda a massiva crítica negativa, tenham aparecido tantas novas bandas que se dedicavam ao rock progressivo – em sua maioria com uma maior aproximação à veia rock e pop, mas essencialmente progressivas -, como, por exemplo, a mais famosa de todas, o Marillion. Repentinamente várias bandas surgiram, em sua maioria eram provenientes da Inglaterra, e logo um ‘rótulo’ foi criado para designar esse ‘movimento’: neo progressivo (ou neo-prog, pra abreviar...).Do outro lado da Europa, mais precisamente na Hungria, uma banda com o oportuno nome de East acabou sendo a principal nova banda de rock progressivo não-britânica, mesmo que sem querer.
Formada na virada da década de 70 para de 80 por Miklós Zareczky (vocais), János Varga (guitarras), Géza Pálvölgyi (teclados), Péter Móczán (baixo) e István Király (bateria e percussão), a banda logo alcançou um bom reconhecimento com seu disco de estréia (‘Játékok’, de 1981), mas foi graças ao seu segundo lançamento, o excelente ‘Hüség’, de 1982, que ganharam fama internacional, se tornando a maior e principal banda húngara daquela época.
Mas os anos 80, vendo em retrospecto, têm vários momentos extremamente incompreensíveis: ‘Hüség’ obteve grande sucesso comercial e deu visibilidade à banda tanto dentro quanto fora da Europa, mas a gravadora pressionou a banda para que fizessem um disco mais ‘assimilável’; o resultado de tanta pressão foi a saída do vocalista Miklós Zareczky e a subseqüente entrada de József Tisza, e um disco (‘Rések A Falon’) que mesmo não sendo de todo ruim, não agradou aos fãs mais fiéis. Talvez não tenha agradado também aos músicos, já que o álbum seguinte, ‘Az Áldozat (Szodoma)’, é totalmente instrumental (e excelente!).É difícil saber o que realmente aconteceu daí pra frente (a maioria das informações que consegui estavam em húngaro...), mas, pouco depois do lançamento desse último disco, a banda se dispersou, a sua maior ‘estrela’, o guitarrista János Varga, iniciou sua carreira solo e o East foi levando seu nome somente com um dos membros originais, o baixista Péter Móczán.
De 1986 a 1995 lançaram mais quatro discos de estúdio (‘East 1986’, ‘A Szerelem Sivataga’, ‘Taking The Wheel’ e ‘Radio Babel’) e um ao vivo (‘Két Arc’). De todos esses, não consegui encontrar ‘East 1986’, ‘Taking The Wheel’ e ‘Két Arc’, quem os tiver poderia fazer uma ‘doação’ ao blog, que eu disponibilizaria em seguida, e se alguém souber mais e melhores informações, a seção de comentários está aí pra isso...

Links (3,31kb) – Sharebee

9 comentários:

José Miranda disse...

Grande Maddy,

Grupos do Leste só conheço os húngaros Omega (que têm coisas muito boas e outras nem por isso...).
Com certeza vou baixar estes.

Um grande abraço

José Miranda

Rochacrimson disse...

Excelente!
Omega,East,SBB,Leb I Sol...etc eram grandes grupos do leste europeu.
Nostálgico!

reder disse...

Fala Maddy!!! Estava querendo esse Tangent ao vivo, valeu! Conhece o dvd solo do Jannos Varga, guitarrista do East? O cara é o bicho!!! Toca muito e mais alguma coisa. Esse eu recomendo. []ão.

Marcello L. a.k.a. Maddy Lee disse...

. Grande Miranda,
o Omega também é muito bom, é claro que já deu umas 'escorregadas' pelo meio do caminho; qual banda não deu? Existem outras bandas húngaras bacanas, umas mais recentes como Force Majeure, Fugato Orchestra, Colorstar, D Sound e provavelmente muitas outras que não me vêm à cabeça agora, inclusive o Carpathia Project e After Crying (destas, a minha preferida) que já postei aqui no Pântano.
. Grande RockCarmim!
Pois é, meu camarada, a nostalgia está intimamente ligada à qualidade, do gostar e sentir falta de coisas boas; nesse sentido a nostalgia é uma das bases do Pântano Elétrico, por que não? rsrs Afnal a grande maioria das postagens tem esse 'cheiro' de coisas que me são queridas, sempre com algumas boas recordações.
. Faaala, Reder!
Cara, nunca vi o cara tocando, fiquei curioso; tenho uns 2 discos dele, mas sempre acho que fica faltando alguma coisa em suas músicas, mesmo assim é evidente que o cara toca muuuuuuito.
Agradeço a todos pelos constantes comentários, são vocês que me fazem querer continuar com essa história maluca, apesar do pesares.
Grande abraço!
Valeu!
ML

reder disse...

Grande Maddy Lee!!! Gostaria de poder atender a sua curiosidade em relação ao Jannos Varga, só que nunca postei nada e não sei como funciona. Tenho curiosidade em aprender. Preciso criar um blog? Mande pro meu email as coordenadas de como agir, que posto o dvd. ficarei feliz em atendelo meu brodher. []ão

Franck disse...

Grande Marcello, acabo de encontrar este magnífico post, esta es una gran banda de Hungría, pais que ha dado bandas de culto para los amantes del buen progresivo: After Crying, Solaris...
Saludos Marcello

Marcello L. a.k.a. Maddy Lee disse...

. Grande Reder,
eu acho que não tenho seu e-mail, então entre em contato através do maddylee@globo.com, aí te passo o caminho da pedras, mas fazer um blog é muito fácil, até eu que sou uma negação em todas essas coisas relacionadas com a informática consegui fazer um rsrsrsrs aliás, mais de um! rsrsrs Upar é fácil, mas se for DVD, aí complica, talvez eu possa pedir umas dicas pra primeira-dama do Gravetos & Berlotas, tremenda autoridade no assunto.
. Franck, meu camarada!
Bem lembrado! Solaris é sensacional!
Abraços.
Valeu!
ML

Anônimo disse...

Thank you! I don't know this band but I'm willing to try.

Keep on progging!

Marcello L. a.k.a. Maddy Lee disse...

Citizen Cain plays a prog rock largerly influenced by Genesis, they're not the best thing in the world but they're better than a lot of similar style bands, very talented musicians and a very good singer/songwiter too; have a nice try and a good trip too!
Thanks!
ML