quarta-feira, 16 de abril de 2008

The Chemical Brothers

Dentro da música eletrônica contemporânea encontramos zilhões de vertentes e estilos diferentes, entre tantos o big beat é um dos mais bem sucedidos e populares. Junto com Prodigy, The Crystal Method e Fatboy Slim, entre outros, a dupla inglesa Ed Simons e Tom Rowland, conhecidos como The Chemical Brothers, são considerados os pioneiros desse estilo.
O big beat ‘descende’, de alguma forma, do techno; é como se fosse um techno mais trabalhado, e algumas de suas características são as batidas quebradas e pesadas, normalmente entre 90 e 140 bpm, linhas de teclados com toques psicodélicos, utilização de samplers de variados estilos musicais (de música étnica ao rock pesado, passando por funk, jazz, entre muitos outros) e uma aproximação muito forte com o rock e o pop, principalmente por causa do formato das músicas e pela utilização de vocalistas ‘do ramo’.

Simons e Rowlands se juntaram em 1992, sob o nome The Dust Brothers, mas por já existir uma dupla americana com o mesmo nome (conhecidos produtores de, entre outros, Beastie Boys e até Rolling Stones), logo trocaram para o nome pelo qual ficaram conhecidos mundialmente.
Entre suas influências estão artistas como The Beatles, Public Enemy, New Order, The Smiths, Stone Roses, Kraftwerk e Cabaret Voltaire, só para citar alguns poucos, daí entendemos a ecleticidade da dupla em suas composições.

Seu primeiro disco ‘Exit Planet Dust’ foi aclamado e elogiado por críticos e público e já é considerado um clássico e pedra fundamental do gênero, mas a maior parte do sucesso da dupla veio com o disco seguinte, ‘Dig Your Own Hole’, que contou com a força do amigo Noel Gallagher cantando no hit ‘Setting Sun’, uma música com batida hipnótica claramente inspirada em ‘Tomorrow Never Knows’, dos Beatles.

Quando se trata de convidar amigos para cantar em seus discos eles não fazem por menos e só chamam gente muito boa: Beth Orton, Tim Burgess (The Charlatans), Richard Ashcroft (ex The Verve), Bernard Sumner (New Order), Bob Gillespie (Primal Scream), Q-Tip, Kele Okereke (Bloc Party), The Magic Numbers, Hope Sandoval (ex Mazzy Star), Jonathan Donahue (Mercury Rev), Liam e Noel Gallagher (Oasis), Wayne Coyne (Flaming Lips), The Klaxons, entre muitos outros já passaram por lá. Em retribuição, eles costumam produzir e remixar músicas destes artistas, fazendo algumas vezes versões excelentes, como no caso de várias músicas dos amigos The Charlatans, que acabam se rendendo e fazem de suas versões as definitivas.

Além de seus discos de carreira, a dupla, volta e meia, também lança algum trabalho como DJs, com remixes próprios e de outras bandas, e fazem apresentações nesse mesmo estilo, mais despojado. Falando em apresentações, os shows que eles fazem são imperdíveis: para compensar a falta de presença de palco (afinal eles quase que ficam imperceptíveis atrás de toda a parafernália eletrônica), eles utilizam telões gigantes com imagens que interagem com a música e, também, iluminação com programações variadíssimas (um show à parte), laser e muitos efeitos; às vezes alguns dos convidados que participam nos discos também dão as caras, o que sempre é uma agradável surpresa.

A cada disco constatamos, senão uma evolução, pelo menos um amadurecimento musical, tendo criado um estilo próprio, servindo como inspiração e referência para muitos outros artistas de gêneros variados. Desde 1995 lançaram seis discos de inéditas, além de coletâneas; participaram em trabalhos de vários outros artistas e continuam na estrada, com muito fôlego e criatividade; com o passar dos anos conquistaram um público fiel e eclético, fãs de música eletrônica, rock, pop e variados estilos musicais.

Estou postando aqui os seis discos de estúdio mais uma coletânea oficial, outra com b-sides e ‘Brothers Gonna Work It Out’, onde atuam mais como DJs.
Incluí os encartes completos de todos os discos (com exceção dos dois últimos), aproveitem! E boa viagem...

Novos Links (5,78kb) - Sharebee

2 comentários:

GRAVETOS & BERLOTAS disse...

Esses eu curto, talvez porque gostem de jogar uma guitarrinha aqui e ali.
Valeu!
[]ões

Marcello L. a.k.a. Maddy Lee disse...

Faaala, hombre!
É bom pra improvisar em cima, também... rsrsrs
Abração!
ML